sicnot

Perfil

Economia

CDS diz que "paraíso das esquerdas" é o "inferno diário" nos transportes

O CDS-PP acusou esta quarta-feira a maioria de esquerda de apoiar a imposição de cortes aos serviços públicos através de cativações, que transformaram, no setor dos transportes, "o paraíso das esquerdas" no "inferno diário" dos cidadãos.

O tom do debate de atualidade marcado pelo CDS, com o tema "a rutura dos serviços públicos: a fatura da agenda das esquerdas", foi o da troca de acusações entre esquerda e direita, com os partidos da maioria de esquerda que apoia o Governo a culparem PSD e CDS pelo maior desinvestimento de sempre nos serviços públicos.

"O Governo impõe cortes severos, que agora se chamam não cortes mas cativações, e os partidos que o apoiam nuns dias olham para o lado, nada ouvem, nada veem e nada dizem, noutros dias choram lágrimas de crocodilo e afirmam grandes protestos mas quando chega a hora da verdade que é a hora do voto dizem ámen e baixam a cabeça", acusou a deputada Cecília Meireles.

A deputada, que é vice-presidente do CDS, apontou para o "setor bandeira" dos transportes: "No início, tudo eram facilidades, reversões e regresso ao passado em visão acelerada. Rapidamente, os cidadãos perceberam que aquilo que era o paraíso ideológico das esquerdas mais radicais é na realidade um inferno diário para muitos cidadãos sobretudo no Porto e em Lisboa".

Sobre a ausência de bilhetes nos transportes públicos, Cecília Meireles atacou o ministro da tutela: "Diz que foi um azar. A isto eu chamo escolha e incompetência, azar parece-me a pior palavra para descrever este inferno diário por que passam muitos lisboetas".

O CDS não se cingiu aos transportes, apontando falhas na saúde e na educação e em todos os serviços onde se vive "a execução orçamental para além dos números".

O social-democrata António Leitão Amaro acusou o executivo de, com "o silêncio cúmplice" dos parceiros, estar a pôr em causa o Estado social e "voltar a dar sentido à frase: o maior inimigo do Estado social é o Estado falido".

No tom adotado pela esquerda, o ministro Eduardo Cabrita saudou "o CDS por aquilo que parece tentativa de ato de contrição após quatro anos de degradação de serviço públicos" na "educação, na saúde, nos transportes, na ação social, na justiça, numa centralização de decisões públicas, afastando a gestão pública dos cidadãos".

Eduardo Cabrita disse que o CDS se orgulhou "da redução do número de estabelecimentos de ensino, da redução de dezenas de milhares de professores, da redução nas despesa afeta ao serviço público de saúde, na forma como degradou os transportes públicos, como se orgulhou de colocar tribunais a julgar a mais de 100 quilómetros dos cidadãos interessados nas causas."

"Bem-vindo o CDS à sua tradição democrata-cristã, o arrependimento é um valor cristão que devemos saudar neste debate", declarou.

Pelo PS, o deputado João Paulo Correia acusou o CDS de estar fora do Governo há apenas um ano e já se ter esquecido das "maldades que fez", incluindo "o maior ataque aos transportes públicos".

José Luís Ferreira, do partido ecologista "Os Verdes", acusou o anterior executivo de promover "um desinvestimento sem paralelo na história, sobretudo na área da saúde" onde fez "cortes cegos" e encerrou serviços "em todo o país".

A deputada bloquista Mariana Mortágua chamou ao ex-secretário de Estado dos Transportes Sérgio Monteiro o "coveiro" dos transportes públicos, responsável pelo aumento dos preços, diminuição das carreiras e das carruagens, e desafiou o CDS a assumir "a sua agenda ideológica, que é contrária aos princípios da gratuitidade e universalidade dos serviços públicos".

Paula Santos, vice-presidente da bancada do PCP, também responsabilizou o governo PSD/CDS-PP pelo desinvestimento nos transportes, redução de horários e carreiras, e pela privatização dos serviços postais, e uma perda de 78 mil trabalhadores na administração pública.

Lusa

  • Morreu o vocalista da banda Linkin Park

    Cultura

    Um dos vocalistas da banda de metal alternativo Linkin Park, Chester Bennington, morreu, em casa, numa cidade do condado de Los Angeles, aos 41 anos. Chester Bennington ter-se-á suicidado, de acordo com a plataforma TMZ. O músico juntou-se aos Linkin Park em 1999, três anos após a formação da banda, que editou o seu álbum de estreia, "Hybrid Theory", em 2000. O disco, do qual fazem parte temas como "In the End", "Crawling" e "One Step Closer", vendeu dez milhões de cópias só nos Estados Unidos.

  • O perfil do novo herói do surf português
    3:43
  • "Temos de melhorar o sistema de prevenção e combate dos incêndios"
    18:07

    País

    O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias, desta quinta-feira. Em análise esteve o chumbo do PCP na criação de um banco nacional de terras, a reforma da floresta em Portugal, as falhas no sistema de comunicação do SIRESP, a lei da rolha nos bombeiros, a seca no país e ainda a pesca da sardinha, que poderá vir a ser proibida durante 15 anos. 

    Entrevista SIC Notícias

  • CGTP acusa PT de ilegalidades no dia da greve
    0:46

    Economia

    A CGTP pede a intervenção do Governo na PT. Esta quinta-feira, na SIC Notícias, Arménio Carlos acusou a empresa de estar a cometer mais uma ilegalidade, ao ter requisitado trabalhadores para cumprir serviços mínimos uma semana antes do permitido por lei.

  • Altice responde a António Costa
    1:33

    Economia

    A Altice respondeu ao Governo, na sequência das críticas de António Costa, lamentando que Portugal não reconheça a importância dos investimentos que o grupo faz no país. A dona da PT inaugurou esta quinta-feira um novo call center em Vieira do Minho e, na sexta-feira, está marcada uma greve geral dos trabalhadores da PT.

  • Protesto dos enfermeiros é "ilegal"
    2:37
  • O que resta do navio de salvamento mais famoso de Portugal?
    15:26

    Aqui há História

    Os baixios da barra do Tejo já foram cemitério de centenas de embarcações. Uma delas foi o Patrão Lopes, o navio de salvamento que saía para o mar quando todos fugiam das tempestades. Foram cinco dias em agonia até naufragar no Bugio, num caso que acabou na barra do tribunal. 80 anos depois, a SIC mergulhou no Patrão Lopes porque "Aqui Há História".

  • Sismo de magnitude 6.9 na Turquia

    Mundo

    Um forte sismo com magnitude 6.9 na escala de Richter fez-se sentir esta quinta-feira a sul da cidade turca de Bodrum. A informação foi avançada pela agência norte-americana de Geologia.