sicnot

Perfil

Economia

Deutsche Bank multado nos EUA por não acautelar mau uso de informação sensível

O Deutsche Bank vai pagar uma multa de 9,5 milhões de dólares (8,6 milhões de euros) depois de as autoridades bolsistas dos EUA o terem acusado de falhar na guarda de informação de mercado sensível.

A penalização ocorre quando os investidores estão muitos atentos às negociações do banco de Frankfurt, em situação difícil de capital, com o Departamento de Justiça dos EUA, que anunciou querer multá-lo em 14 mil milhões de dólares por envolvimento nas obrigações tóxicas garantidas por créditos imobiliários com fraca qualidade, responsabilizadas pela crise financeira de 2008.

De acordo com a autoridade bolsista norte-americana (SEC, na sigla em inglês), o Deutsche Bank encorajou analistas a contactarem frequentemente com clientes e pessoal da área comercial, mas sem se dotar dos controlos internos que impedissem a cedência de informação não publicada durante telefonemas matinais, refeições e conferências.

A lei bolsista exige aos analistas que protejam a designada "informação material não pública", como recomendações de compra e venda de títulos, para não ser entregue a investidores antes de ser publicada.

"A informação gerada por analistas da pesquisa, como ratings, opiniões, estimativas e recomendações de compra e venda pode mover mercados", declarou uma diretora do Departamento Jurídico da SEC, Antonia Chion, em comunicado.

"Os intermediários devem manter e aplicar políticas e procedimentos, razoavelmente concebidos à luz da natureza do seu negócio, para prevenir o mau uso de tal informação", acrescentou.

As leis e os regulamentos sobre o abuso de informação privilegiada proíbem por norma os investidores de comprarem ou venderem ações de empresas baseados em informação material não pública.

Num exemplo citado pela SEC, um antigo analista do Deutsche Bank, Charles Grom, foi multado em 100 mil dólares em fevereiro e suspenso da indústria de investimento por certificar uma classificação de compra sobre o retalhista Big Lots, apesar de em privado dizer a outros que a nota desta empresa deveria ser revista em baixa.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Karlie Kloss, o "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59