sicnot

Perfil

Economia

Varoufakis acusa governador do Banco Central grego de ser desleal

Virginia Mayo

O ex-ministro das Finanças da Grécia e líder do pan-europeu, DiEM25, Yanis Varoufakis, acusou este sábado o governador do Banco Central grego e também ex-titular das Finanças, Yanis Sturnaras, de ser desleal com o Governo do país.

Num artigo publicado no diário helénico Efimerida ton Syntakton, Varoufakis fala das "razões para as quais há que livrar-se" de Sturnaras, que mantém com o executivo grego diversas disputas sobre diferentes assuntos, entre os quais o estado da economia grega.

Varoufakis afirmou ainda que Sturnaras disse que o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, "não o ouviu" enquanto "o Governo estava a negociar com os credores para reestruturar a dívida grega", o que requeria convencer o BCE de que a dívida estava "a cair".

Isto, realça, é "uma violação" da norma que diz que o presidente do Banco da Grécia tem de "atuar em defesa" da política do executivo grego.

Além disso, Varoufakis culpa Sturnaras, em grande medida, por ter levado o Governo do partido Syriza a declarar o controlo de capitais em junho em 2015, depois de em dezembro do ano anterior ter dito que "a liquidez do mercado", estava "a diminuir rapidamente" e que poderia "sofrer danos irreparáveis".

"Não há nenhum país do mundo em que não se inicie uma saída massiva de depósitos, depois de uma declaração nestes termos do presidente do banco central", realçou Varoufakis.

Lusa

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.