sicnot

Perfil

Economia

Varoufakis acusa governador do Banco Central grego de ser desleal

Virginia Mayo

O ex-ministro das Finanças da Grécia e líder do pan-europeu, DiEM25, Yanis Varoufakis, acusou este sábado o governador do Banco Central grego e também ex-titular das Finanças, Yanis Sturnaras, de ser desleal com o Governo do país.

Num artigo publicado no diário helénico Efimerida ton Syntakton, Varoufakis fala das "razões para as quais há que livrar-se" de Sturnaras, que mantém com o executivo grego diversas disputas sobre diferentes assuntos, entre os quais o estado da economia grega.

Varoufakis afirmou ainda que Sturnaras disse que o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, "não o ouviu" enquanto "o Governo estava a negociar com os credores para reestruturar a dívida grega", o que requeria convencer o BCE de que a dívida estava "a cair".

Isto, realça, é "uma violação" da norma que diz que o presidente do Banco da Grécia tem de "atuar em defesa" da política do executivo grego.

Além disso, Varoufakis culpa Sturnaras, em grande medida, por ter levado o Governo do partido Syriza a declarar o controlo de capitais em junho em 2015, depois de em dezembro do ano anterior ter dito que "a liquidez do mercado", estava "a diminuir rapidamente" e que poderia "sofrer danos irreparáveis".

"Não há nenhum país do mundo em que não se inicie uma saída massiva de depósitos, depois de uma declaração nestes termos do presidente do banco central", realçou Varoufakis.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.