sicnot

Perfil

Economia

Audição sobre congelamento de fundos só deverá acontecer a 8 de novembro

O plenário do Parlamento Europeu, em Estrasburgo.

© Vincent Kessler / Reuters

A audição com os ministros das Finanças de Portugal e Espanha sobre o congelamento de fundos foi adiada e só deverá acontecer a 8 de novembro, na sede do Parlamento Europeu, em Bruxelas.

A data ainda não está fechada, mas é uma hipótese em cima da mesa já que os dois ministros deverão estar em Bruxelas nesse dia para a reunião mensal de ministros das Finanças.

Mário Centeno tinha garantido a disponibilidade para ir a Estrasburgo para apresentar os argumentos contra a suspensão de parte dos fundos comunitários em 2017.

Fonte da Presidência do Parlamento Europeu confirmou à SIC que as audições com os Governos de Portugal e Espanha já não serão para a semana. Entre as razões, estarão dificuldades de agenda do ministro espanhol, Luis de Guindos.

O adiamento das audições deverá também contribuir para o arrastar do processo de decisão da Comissão sobre o congelamento de fundos.

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41