sicnot

Perfil

Economia

Audição sobre congelamento de fundos só deverá acontecer a 8 de novembro

O plenário do Parlamento Europeu, em Estrasburgo.

© Vincent Kessler / Reuters

A audição com os ministros das Finanças de Portugal e Espanha sobre o congelamento de fundos foi adiada e só deverá acontecer a 8 de novembro, na sede do Parlamento Europeu, em Bruxelas.

A data ainda não está fechada, mas é uma hipótese em cima da mesa já que os dois ministros deverão estar em Bruxelas nesse dia para a reunião mensal de ministros das Finanças.

Mário Centeno tinha garantido a disponibilidade para ir a Estrasburgo para apresentar os argumentos contra a suspensão de parte dos fundos comunitários em 2017.

Fonte da Presidência do Parlamento Europeu confirmou à SIC que as audições com os Governos de Portugal e Espanha já não serão para a semana. Entre as razões, estarão dificuldades de agenda do ministro espanhol, Luis de Guindos.

O adiamento das audições deverá também contribuir para o arrastar do processo de decisão da Comissão sobre o congelamento de fundos.

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.