sicnot

Perfil

Economia

Crescimento de 1,6% da economia no 3.º trimestre confirmado

(Reuters/ Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

O Produto Interno Bruto aumentou mesmo 1,6% no 3º trimestre de 2016, em relação ao período homólogo do ano passado. Os dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística confirmam a estimativa provisória divulgada há duas semanas.

Última atualização às 12:30

Nas Contas Nacionais Trimestrais relativas ao terceiro trimestre deste ano hoje publicadas, o INE refere que, neste período, a economia portuguesa registou "um aumento de 1,6% em volume", que compara com uma variação de 0,9% nos dois trimestres anteriores.

As exportações e o consumo privado aceleraram, mas o investimento caiu.

Os dados relativo à exportação indicam um crescimento de 5,4% face ao 3º trimestre de 2015, o consumo privado aumentou 1,9% em termos homólogos.

Quanto ao investimento, registou-se uma queda de 3,1% em termos homólogos, mas que no trimestre anterior.

Numa análise por componentes, o INE indica que "o contributo positivo da procura interna para a variação homóloga do PIB aumentou ligeiramente, passando de 0,8 pontos percentuais no segundo trimestre de 2016 para 0,9 pontos percentuais", observando-se uma aceleração das despesas de consumo final das famílias residentes para 1,9% (1,6% no trimestre anterior).

"Apesar de a FBCF [Formação Bruta de Capital Fixo] ter apresentado uma variação homóloga menos negativa no terceiro trimestre de 2016, o investimento registou uma diminuição homóloga mais acentuada que no trimestre anterior, refletindo o contributo negativo da variação de existências", acrescenta.

Por sua vez, a variação homóloga do consumo público passou de 0,7% no segundo trimestre para 0,5%, "o que está associado em parte ao impacto da diminuição da duração do período normal de trabalho na Administração Pública de 40 para 35 horas semanais, que se traduziu num aumento do deflator da componente de remunerações e num efeito negativo em volume".

Comparando o desempenho do terceiro trimestre com o do trimestre anterior, o INE aponta que "o PIB aumentou 0,8% em termos reais (0,3% no trimestre anterior)".

A contribuição da procura externa líquida para a variação em cadeia do PIB foi de 1,3 p.p. (contributo de -0,4 p.p. nos dois trimestres anteriores), verificando-se um crescimento das exportações de bens e serviços e uma diminuição das importações de bens e serviços.

Já a procura interna registou um contributo negativo de 0,4 p.p. para a variação em cadeia do PIB (contributo de 0,6 p.p. no trimestre precedente), observando-se uma redução do investimento e do consumo público, enquanto as despesas de consumo final das famílias residentes aumentaram.

O consumo privado aumentou 1,9% no terceiro trimestre deste ano em termos homólogos, ou seja, uma "taxa superior em 0,3 p.p. à observada no trimestre precedente", o que se deveu "à aceleração do consumo privado em bens não duradouros e serviços, que apresentou uma variação homóloga de 1,5% (1,0% no trimestre anterior)".

"Em sentido oposto", o consumo de bens duradouros desacelerou, passando de uma variação homóloga de 7,9% no segundo trimestre para 6,2% "refletindo, em larga medida, a evolução da componente automóvel".

Em comparação com o segundo trimestre de 2016, verificou-se que o consumo privado aumentou 0,5% entre julho e setembro, após uma diminuição de 0,1% no trimestre anterior.

No que se refere ao investimento, esta componente do produto "registou uma variação homóloga em volume mais negativa", passando de -2,3% no segundo trimestre para -3,1%, refletindo o comportamento da variação de existências, que apresentou um contributo de -0,3 p.p. para a variação homóloga do PIB (contributo nulo no trimestre anterior).

Pelo contrário, a FBCF total registou uma diminuição homóloga "menos intensa" no terceiro trimestre, passando de -2,4% no trimestre anterior para -1,5%.

Segundo o INE, "o comportamento da FBCF em construção explicou, em grande medida, a diminuição da FBCF total verificada no terceiro trimestre, registando uma variação homóloga de -3,7% em termos reais, após ter diminuído 3,8% no segundo trimestre".

Face ao segundo trimestre de 2016, o investimento total diminuiu 3,9% de julho a setembro, após a variação em cadeia de 4,1% registada no trimestre precedente, devido sobretudo ao comportamento da variação de existências.

A FBCF total passou de uma variação em cadeia de 0,3% no segundo trimestre para -1,0% no terceiro trimestre.

As exportações de bens e serviços em volume "passaram de uma variação homóloga de 1,8% no segundo trimestre para 5,4% no terceiro trimestre", um comportamento que resultou da aceleração das componentes de bens (5,7%, face a 2,5% no trimestre anterior, influenciadas em 0,6 p.p. pela venda de material militar) e de serviços (4,4%, face a -0,2% no segundo trimestre).

As importações, por seu lado, aumentaram 3,5% em termos homólogos, "acelerando face ao crescimento de 1,4% observado no trimestre precedente".

As importações de bens cresceram 3,9% em termos homólogos (1,9% no trimestre anterior) e as importações de serviços registaram uma taxa de variação homóloga de 1,3% (-1,4% no 2º trimestre de 2016).

Comparativamente com o segundo trimestre de 2016, as exportações totais aumentaram 2,5% em volume (variação em cadeia de 1,2% no segundo trimestre), enquanto as importações diminuíram 0,4% (aumento de 2,0% no trimestre anterior).

De acordo com o INE, o VAB (Valor Acrescentado Bruto) total a preços base passou de um crescimento homólogo de 0,5% no segundo trimestre para uma variação de 1,0% no terceiro trimestre.

O emprego para o conjunto dos ramos de atividade da economia, corrigido de sazonalidade, aumentou 2,2% homólogos no terceiro trimestre, após o aumento de 0,8% no trimestre anterior, enquanto o emprego remunerado (também corrigido de sazonalidade) aumentou 1,8% em termos homólogos, variação semelhante à do trimestre precedente.

Com Lusa

  • Economia dispara no 3.º trimestre

    Economia

    O PIB aumentou inesperadamente 0,8% entre julho e setembro, face aos 0,3% no trimestre anterior. Em termos homólogos, a subida é ainda maior, a economia portuguesa cresceu 1,6%.

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • "O ministro não escondeu nem tapou"
    1:20

    Economia

    Pedro Santana Lopes falou pela primeira vez sobre a auditoria feita à Santa Casa no período em que foi provedor. Esta terça-feira, na SIC Notícias, Santana Lopes desvalorizou as irregularidades e defendeu o ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, Vieira da Silva.

    Pedro Santana Lopes

  • Constitucional chumba algumas normas da lei de barrigas de aluguer

    País

    O Tribunal Constitucional chumbou algumas normas do acórdão sobre as barrigas de aluguer. De acordo com o Expresso, a decisão já foi comunicada à Assembleia da República. A obrigatoriedade da regulamentação da lei ser feita pelo Parlamento e não pelo Governo terá sido unânime.

  • A história do bebé que continua a lutar pela vida depois de terem desligado as máquinas

    Mundo

    Alfie Evans sofre de uma doença cerebral degenerativa. A sua condição levou o caso à justiça e, depois de uma batalha judicial entre os pais e o hospital, os juízes determinaram que as máquinas do suporte artificial de vida fossem desligadas. Apesar de os aparelhos terem sido desligados na segunda-feira à noite, segundo os pais, a criança de 23 meses continua a lutar pela vida, respirando sozinha.

    SIC

  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • Marinha resgata 138 migrantes ao largo de Lampedusa

    País

    A fragata da Marinha portuguesa D. Francisco de Almeida resgatou esta terça-feira, ao largo da ilha de Lampedusa, em Itália, 138 migrantes, entre eles 15 mulheres e oito bebés, disse à Lusa fonte do Estado-Maior-General das Forças Armadas.

  • O recado de Donald Trump à Coreia do Norte 

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, exortou Pyongyang a eliminar todo o seu arsenal nuclear, precisando o que queria dizer exatamente ao apelar para a "desnuclearização" do regime totalitário, antes de uma aguardada cimeira com o líder norte-coreano.

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17