sicnot

Perfil

Economia

Estado espera arrecadar até 1.500 M€ em dívida de curto prazo na quarta-feira

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O Estado vai emitir na próxima quarta-feira até 1.500 milhões de euros em título de dívida com maturidade de seis e 12 meses, segundo anunciou esta sexta-feira o IGCP.

Num comunicado emitido esta sexta-feira, o IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública informou que esta emissão vai realizar-se na quarta-feira, dia 18 de janeiro, através de dois leilões de Bilhetes do Tesouro com maturidades a 21 de julho de 2017 e a 19 de janeiro de 2019.

Com esta emissão, a instituição liderada por Cristina Casalinho espera arrecadar um montante indicativo global de entre 1.250 milhões e 1.500 milhões de euros.

A última emissão de Bilhetes do Tesouro a seis meses aconteceu em novembro do ano passado, altura em que foram colocados no mercado 250 milhões de euros com uma taxa de juro média de -0,027%.

Na mesma altura ocorreu também a mais recente emissão de Bilhetes do Tesouro a 12 meses, tendo sido emitidos 1.250 milhões de euros, a uma taxa de juro de 0,005%.

De acordo com o programa de financiamento do Estado para 2017, a agência que gere a dívida pública portuguesa espera que o financiamento líquido resultante da emissão de Bilhetes do Tesouro vai resultar "num impacto nulo" e adianta que "será mantida a estratégia de emissão ao longo de toda a curva, combinando prazos curtos com prazos longos".

Ao longo de 2017, o IGCP pretende também emitir entre 14 a 16 mil milhões de euros em Obrigações do Tesouro, através de emissões mensais.

Em termos líquidos, a República portuguesa precisa de um financiamento de 12,5 mil milhões de euros para este ano, num valor que inclui 2,7 mil milhões euros de fundos associados à recapitalização da CGD, que já se encontram financiados.

Lusa

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.