sicnot

Perfil

Economia

Estado espera arrecadar até 1.500 M€ em dívida de curto prazo na quarta-feira

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O Estado vai emitir na próxima quarta-feira até 1.500 milhões de euros em título de dívida com maturidade de seis e 12 meses, segundo anunciou esta sexta-feira o IGCP.

Num comunicado emitido esta sexta-feira, o IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública informou que esta emissão vai realizar-se na quarta-feira, dia 18 de janeiro, através de dois leilões de Bilhetes do Tesouro com maturidades a 21 de julho de 2017 e a 19 de janeiro de 2019.

Com esta emissão, a instituição liderada por Cristina Casalinho espera arrecadar um montante indicativo global de entre 1.250 milhões e 1.500 milhões de euros.

A última emissão de Bilhetes do Tesouro a seis meses aconteceu em novembro do ano passado, altura em que foram colocados no mercado 250 milhões de euros com uma taxa de juro média de -0,027%.

Na mesma altura ocorreu também a mais recente emissão de Bilhetes do Tesouro a 12 meses, tendo sido emitidos 1.250 milhões de euros, a uma taxa de juro de 0,005%.

De acordo com o programa de financiamento do Estado para 2017, a agência que gere a dívida pública portuguesa espera que o financiamento líquido resultante da emissão de Bilhetes do Tesouro vai resultar "num impacto nulo" e adianta que "será mantida a estratégia de emissão ao longo de toda a curva, combinando prazos curtos com prazos longos".

Ao longo de 2017, o IGCP pretende também emitir entre 14 a 16 mil milhões de euros em Obrigações do Tesouro, através de emissões mensais.

Em termos líquidos, a República portuguesa precisa de um financiamento de 12,5 mil milhões de euros para este ano, num valor que inclui 2,7 mil milhões euros de fundos associados à recapitalização da CGD, que já se encontram financiados.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.