sicnot

Perfil

Economia

FMI ligeiramente mais otimista no desempenho da economia da zona euro em 2017 e 2018

A líder do FMI, Christine Lagarde

© Philippe Wojazer / Reuters

O Fundo Monetário Internacional (FMI) está ligeiramente mais otimista relativamente à economia da zona euro, prevendo um crescimento de 1,6% este ano, mas mantém a projeção para 2018. No "World Economic Outlook" publicado esta segunda-feira, o FMI estima que o Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro cresça 1,6% este ano, contra uma projeção de 1,5% realizada em outubro.

Para 2018, o FMI antecipa uma manutenção do crescimento dos países que partilham a moeda única europeia, nos 1,6%, igual à projeção efetuada em outubro.

Segundo as previsões do Fundo, a economia germânica deverá crescer 1,5%, tanto este ano como no próximo (uma revisão em alta de 0,1 pontos face às projeções anteriores), e a economia espanhola deverá aumentar 2,3% em 2017 e 2,1% em 2018 (o que representa uma melhoria de 0,1 e 0,2 pontos percentuais, respetivamente).

Já no caso francês, a instituição liderada por Christine Lagarde reviu em baixa as projeções feitas há três meses para 0,7% em 2017 (menos 0,2 pontos percentuais) e 0,8% em 2018 (menos 0,3 pontos percentuais).

No Reino Unido, o Fundo está mais otimista em 2017, com uma projeção de crescimento 0,4 pontos percentuais acima da realizada em outubro, para 1,5%, mas mais pessimista para 2018, piorando em 0,3 pontos percentuais as projeções, para os 1,4%.

No discurso de abertura da conferência de imprensa, o economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld, referiu, no entanto, que, na Europa, as condições de saída do Reino Unido da União Europeia e as suas repercussões são ainda incertas.

O FMI manteve as previsões feitas em outubro para o crescimento global, antecipando que a economia cresça 3,4% este ano e 3,6% no próximo.Na atualização ao World Economic Outlook, o FMI diz que a atividade económica deve ganhar ritmo em 2017 e 2018, especialmente em mercados emergentes e economias em desenvolvimento.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.