sicnot

Perfil

Economia

Venda de automóveis desacelera em janeiro

A venda de automóveis em Portugal cresceu 9,5% em janeiro, numa comparação homóloga, mostrando a "prevista tendência de desaceleração do mercado neste início de 2017", segundo a Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

Em comunicado divulgado hoje, a ACAP precisou terem sido comercializados 18.051 veículos automóveis no início de 2017 contra os 16.480 de janeiro de 2016.

No segmento dos ligeiros de passageiros, registou-se no primeiro mês do ano um crescimento de 7,8% (15.029 automóveis), enquanto em janeiro de 2016 o crescimento tinha sido de 17,7% face a janeiro de 2015.

Os últimos dados mostram que as marcas que mais venderam ligeiros de passageiros foram a Peugeot e a Renault, num empate de 1.475 viaturas, seguindo-se a Mercedes (1441), a BMW (1320) e Volkswagen (1218).

Nos comerciais ligeiros, a ACAP indicou uma subida de 26,3% (2.572 veículos), enquanto nos veículos pesados houve uma diminuição de 10,7% no mês de janeiro (450).

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.