sicnot

Perfil

Economia

Caixabank diz que quer manter BPI na bolsa

© Albert Gea / Reuters

O líder do CaixaBank, que controla o BPI ao deter 85% do capital do banco na sequência da Oferta Pública de Aquisição (OPA), disse esta quarta-feira ter a intenção de manter o banco na bolsa, pelo menos para já.

"A nossa intenção é manter o banco cotado. A médio e longo prazo, se a liquidez for um problema temos que ver como resolver", afirmou Gonzalo Cortázar em conferência de imprensa em Lisboa.

Na sequência de OPA lançada já em 2016 pelo Caixabank, hoje foi conhecido que o grupo financeiro catalão CaixaBank passou a deter 84,5% dos direitos de voto do banco BPI, num investimento total de 644,5 milhões de euros.

De fora ficou cerca de 15% do capital, cujos acionistas não aceitaram a proposta do grupo bancário espanhol por 1,134 euros por ação.
Esta percentagem inclui já a seguradora Allianz, que manteve uma posição (detinha cerca de 8%) tendo em conta o acordo que tem com o BPI para a colocação dos seus produtos.

Com a grande maioria do capital social do BPI controlado pelo grupo espanhol, há agora o risco de os acionistas que não venderam capital na OPA, nomeadamente os pequenos investidores, assistirem a uma desvalorização dos seus títulos em bolsa, uma vez que a dispersão do capital do banco em mercado fica reduzida e os títulos fiquem com pouca liquidez, diminuindo o seu valor.

As ações do BPI fecharam hoje a cair 6,58% na bolsa de Lisboa para 1,05 euros, ou seja, já abaixo do preço oferecido na OPA.

Lusa

  • Caixabank garante controlo do BPI
    1:30

    Economia

    O Caixabank conseguiu garantir esta terça-feira o controlo do BPI, o principal objetivo da OPA que terminou esta tarde. Isabel dos Santos vendeu a sua posição de 18,6% por 306,9 milhões de euros. Já o Grupo Violas Ferreira vendeu os 2,7% que detinha e ficou apenas com uma posição residual de 10 mil ações. Os espanhóis dizem que o trabalho conjunto permite ao BPI um ganho de 120 milhões de euros.

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.