sicnot

Perfil

Economia

2,1%: "défice de 2016 será o mais baixo da história da nossa democracia"

2,1%: "défice de 2016 será o mais baixo da história da nossa democracia"

O ministro das Finanças assegurou hoje que o défice orçamental de 2016 não será superior a 2,1% do PIB, considerando que os indicadores mais recentes da economia são "alicerces mais sólidos" e que ajudam à "saúde das contas públicas".

"O défice em 2016 será o mais baixo da história da nossa democracia e não será superior a 2,1%", afirmou esta quarta-feira Mário Centeno na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, onde está a ser ouvido esta manhã.

Depois de citar os números economia portuguesa divulgados na terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que dão conta de um crescimento médio do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,4% em 2016, o ministro afirmou que "Portugal possui hoje alicerces mais sólidos para garantir um crescimento económico sustentado e equitativo, mas também pela saúde das contas públicas".

Com Lusa

  • Bruxelas elogia evolução da economia nacional
    2:40

    Economia

    A Comissão Europeia elogiou esta segunda-feira evolução da economia portuguesa. No que toca ao crescimento, à descida do desemprego e ao défice, Bruxelas não só melhorou as previsões, como até ultrapassou as melhores expectativas do Governo. Ainda assim, deixa alguns alertas. Em comunicado, o Ministério das Finanças considera que a Comissão Europeia reconhece o sucesso da estratégia económica do Governo e confirma o seu realismo.

  • Bruxelas também prevê défice de 2,3% em 2016

    Economia

    A Comissão Europeia concorda com o Governo português na previsão do défice do ano passado. As previsões económicas de inverno, divulgadas hoje, são melhores do que as de outono, mas os técnicos de Bruxelas alertam que os problemas no sector bancário ainda podem estragar as contas.

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • O mapa das vítimas dos incêndios
    1:19

    País

    Aumentou para 37 o número de mortes na sequência dos fogos que assolaram a zona Centro do país desde o fim de semana. Feridos são pelo menos 71. Atualizamos aqui o mapa, segundo o último balanço da Proteção Civil.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06