sicnot

Perfil

Economia

Portugal coloca 1.250 M€ de dívida com juros ainda mais negativos

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Portugal colocou hoje 1.250 milhões de euros em Bilhetes de Tesouro (BT) a três e 11 meses a taxas de juros médias negativas e inferiores às dos anteriores leilões comparáveis, foi hoje anunciado.

Segundo a página do IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública na Bloomberg, no prazo de 11 meses foram colocados hoje 1.000 milhões de euros à taxa de juro média de -0,096%, inferior à de 0,006% verificada no leilão precedente desta maturidade. A procura de BT a 11 meses atingiu 1.915 milhões de euros, 1,92 vezes o montante colocado.

Em relação aos BT a três meses, o IGCP colocou 250 milhões de euros a uma taxa de juro média negativa de -0,219%, também inferior à de -0,012%, verificada no anterior leilão comparável de 19 de outubro. O total de propostas dos investidores para esta maturidade atingiu 1.020 milhões de euros, mais de quatro vezes o montante colocado.

Em 19 de outubro do ano passado, o IGCP colocou 900 milhões de euros em BT a 11 meses a uma taxa de juro média de -0,006% e 350 milhões de euros em BT a três meses a uma taxa de juro média negativa de -0,012%.

O IGCP tinha anunciado para hoje a realização de dois leilões das linhas de Bilhetes do Tesouro com maturidades em 19 de maio de 2017 e 19 de janeiro de 2018, com um montante indicativo global entre os 1.000 milhões de euros e os 1.250 milhões de euros.

Lus

  • Eis os novos heróis de Vila de Aves
    3:03
  • Desportivo das Aves fora da Liga Europa

    Desporto

    O Desportivo das Aves não vai à Liga Europa e o Sporting terá entrada direta na fase de grupos. Apesar da conquista da Taça de Portugal, a equipa avense não se licenciou em tempo útil para poder participar na prova da UEFA, apurou a SIC.

  • E agora, Sporting? Semana de decisões e incertezas
    2:53
  • "Para primeiro dia de pesca da sardinha, não foi mau"
    2:19
  • "Desfiliei-me do PS mas continuo socialista"
    1:29

    País

    José Sócrates garantiu este domingo que não atacará o PS e que continua a ser socialista. O antigo primeiro-ministro participou num almoço de apoio, em Lisboa, com cerca de 100 pessoas, a maioria anónimos.