sicnot

Perfil

Economia

Lucro da BMW aumenta mais de 30% no 1º trimestre de 2017

O fabricante alemão de automóveis BMW registou um aumento de lucro de 31%, no primeiro trimestre deste ano, para 2,15 mil milhões de euros, graças à subida das vendas na Europa, Estados Unidos e Ásia.

A empresa, sedeada em Munique, tinha registado um resultado líquido de 1,64 mil milhões de euros nos primeiros três meses de 2016.

Além das vendas, que na China tiveram um impulso de 12%, a subida também foi justificada pelo ganho de 183 milhões de euros resultantes da entrada de novos investidores na companhia HERE, de mapas, que junta ainda a Daimler e a Audi.

Entre os mais vendidos estão nomeadamente os SUV (ligeiros com características desportivas), a sedan da série 7, e modelos elétricos, com estes últimos a duplicarem as vendas (num total de 20 mil no 1.º trimestre), embora signifiquem apenas 3% das vendas da empresa.

O CEO do fabricante, Harald Krueger, espera que no final do ano se vendam mais de 100 mil viaturas elétricas.

Lusa

  • BMW com lucros recorde no 3º trimestre

    Economia

    O fabricante alemão de automóveis de luxo BMW anunciou hoje ter registado um aumento de 15% dos seus lucros líquidos no terceiro trimestre do ano, um novo recorde para o período entre julho e setembro.

  • Uma viagem pela Estrada Nacional 236
    2:52
  • A reconstrução depois da tragédia de Pedrógão
    2:43
  • Marcelo reúne-se na quarta-feira com Putin

    País

    O Presidente da República reúne-se na quarta-feira, em Moscovo, com o líder russo, Vladimir Putin, informou este domingo a Presidência. Marcelo Rebelo de Sousa estará na capital da Federação Russa para assistir ao jogo da seleção portuguesa na fase final do Mundial de Futebol com a equipa de Marrocos

  • Novo busto de Ronaldo foi pedido pelo Museu CR7
    2:07
  • Grécia e Macedónia assinam acordo histórico
    2:02

    Mundo

    A Grécia e a Macedónia assinaram um acordo histórico para mudar o nome da antiga República Jugoslava para República da Macedónia do Norte. Em causa está um problema diplomático entre os dois países que dificultou os planos da Macedónia em aderir à União Europeia e às Nações Unidas.