sicnot

Perfil

Economia

Reclamações de clientes bancários aumentaram 4,8% o ano passado

As reclamações de clientes bancários aumentaram 4,8% o ano passado, face a 2015, tendo sido os bancos estrangeiros os que receberam proporcionalmente mais queixas, segundo o Banco de Portugal.

De acordo com o Relatório de Supervisão Comportamental, hoje divulgado, em 2016 foram apresentadas 14.141 reclamações contra os bancos que atuam em Portugal, numa média de 1.178 por mês, mais 4,8% do que em 2015.


"Este crescimento, que significa a retoma dos valores de 2014, deve-se sobretudo ao aumento das reclamações em matérias relacionadas com contas de depósitos", lê-se no documento.


A alteração de cláusulas contratuais, a prestação de informação pelos bancos, a cobrança de comissões e problemas relacionados com cobrança de valores em dívida foram as matérias que motivaram mais queixas.


As reclamações por alteração das cláusulas contratuais representaram 18,3% das reclamações, sendo que mais de metade diziam respeito a contas de depósito e um quarto a crédito à habitação, e as reclamações por comissões e encargos ascenderam a 15,7% do total.


Quanto às reclamações encerradas em 2016, em 64% dos casos o Banco de Portugal considerou que não houve infração pelo banco em causa. Já nos restantes 36% houve a resolução da situação pelo banco, seja por decisão deste seja por determinação do supervisor.


Estes valores são exatamente os mesmos registados em 2015.


Quanto às instituições mais reclamadas, os bancos estrangeiros lideraram as reclamações feitas em 2016 relativamente às contas de depósitos, ao crédito aos consumidores e à habitação.


Nos depósitos à ordem, a sucursal do Deutsche Bank em Portugal recebeu 2,32 reclamações por cada 1.000 contas, o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria 1,54 e o Banco do Brasil 0,46.


No crédito aos consumidores, o maior número de reclamações teve como objeto o FCE (Ford Credit Bank), com 2,45 reclamações por cada 1.000 contratos, seguido do Deutsche Bank, com 1,87, e da Caixa Leasing e Factoring (da Caixa Geral de Depósitos), com 1,13.


No crédito hipotecário, o BBVA (Banco Bilbao Vizcaya Argentaria -- Portugal) lidera as reclamações, com 2,74 reclamações por 1.000 contratos, seguido do Banco BIC Português (1,69) e do português Santander Totta, que tem como casa-mãe o espanhol Santander, com 1,51.

Lusa

  • Encontrado corpo de mariscador desaparecido no Barreiro

    País

    O corpo do homem com cerca de 50 anos apareceu esta manhã junto ao Clube Naval do Barreiro, na mesma zona onde tinha desaparecido na noite deste sábado. A informação já foi confirmada à SIC pela Polícia Marítima, que adiantou que o corpo já foi levado para a morgue. O alerta foi dado por volta das 22:30 de ontem pelos companheiros de nacionalidade chinesa que estavam com a vítima na apanha de bivalves na margem sul do Tejo.

  • Mais de duas mil pessoas retiradas do fogo junto ao parque Doñana, no Sul de Espanha

    Mundo

    O incêndio florestal começou ainda na noite deste sábado na aldeia de Las Peñuelas de Moguer, na província de Huelva e obrigou à evacuação de várias localidades e à retirada de mais de duas mil pessoas, de vários alojamentos turísticos (incluindo o Parador de Mazagon, dois parques de campismo e um hotel). Foi ainda ativado o plano de emergência da província.

  • Portugal "precisa avançar no trabalho" para reduzir crédito malparado
    1:36

    Economia

    Bruxelas recomenda e insiste que o Governo português avance no trabalho para resolver o crédito malparado. Em entrevista à SIC e ao Expresso, o vice-Presidente da Comissão para o Euro e Estabilidade Financeira, Valdis Dombrovskis, adianta que Bruxelas está também a preparar um Plano de Ação ao nível europeu.

    Entrevista SIC/Expresso

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.