sicnot

Perfil

Economia

PS quer Governo a descentralizar e diversificar oferta turística em Portugal

O PS leva hoje a votos no Parlamento três resoluções para que o Governo adote medidas para a descentralização e diversificação da oferta turística, com especial incidência no turismo de saúde e de investigação científica.

Estes três projetos de resolução têm como primeiro subscritor o vice-presidente da bancada socialista e líder do PS/Madeira, Carlos Pereira, e apresentam como base de fundamentação as últimas estatísticas do turismo publicadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), segundo as quais os principais destinos turísticos de Portugal continuam a ser as regiões do Algarve, Lisboa e Madeira.

"Assim, torna-se imperioso adotar medidas que alarguem a procura turística a todo o território nacional, designadamente aos territórios do interior do país e de baixa densidade populacional", lê-se na introdução do primeiro dos três projetos de resolução que a bancada socialista apresenta hoje em plenário para debate e votação.

Em declarações à agência Lusa, Carlos Pereira afirma que estes diplomas não podem ser encarados como uma crítica à atuação do Governo e, em concreto, ao seu Plano Estratégico Nacional do Turismo, mas antes como um contributo para a "densificação" desse mesmo documento.

"Tendo em conta a atual contribuição do turismo para a criação de emprego e de riqueza no país, o PS entende que o Governo está no bom caminho, sobretudo após tomar medidas importantes como a redução do IVA da restauração ou o reforço da formação profissional, que antes se encontrava parada.

Mas entendemos, também, que é possível potenciar o 'cluster' do turismo e trabalhar algumas áreas específicas nos próximos tempos", justificou o líder do PS/Madeira.Nesse sentido, o PS destaca que é "cada vez mais frequente que investigadores científicos, estudantes, quadros de várias áreas se desloquem a outros países para realizar pesquisas para as suas dissertações de pós-graduações, mestrado, doutoramentos, pós-doutoramentos, anos sabáticos ou para participar em eventos científicos ou mesmo para investigar temas de variada ordem".

"De modo a potenciar a procura deste tipo de turismo para o país, é importante compreender que o nível de inovação e desenvolvimento de Portugal, a qualidade das instituições de ensino, a sua reputação em termos de indicadores internacionais, a existência de património natural rico e diversificado e a existência de infraestruturas de interpretação e de Investigação e Desenvolvimento, entre outros, é determinante para a respetiva escolha", sustenta-se na resolução do PS sobre turismo científico.

Já no que respeita ao turismo de saúde, o PS considera que se torna "crítico desenvolver um plano de intervenção operacional de modo a tornar consistente a aposta de Portugal nesta área.

Neste ponto, Carlos Pereira adverte ser necessária "uma articulação de ação entre os ministérios da Economia e da Saúde."O PS quer um plano de ação com medidas concretas para desenvolver os segmentos do turismo de saúde e de investigação científica", completa o dirigente socialista.

De acordo com Carlos Pereira, para além de Lisboa, Algarve e Madeira, "há regiões que têm grandes potencialidades" nesses dois segmentos do turismo.

"O melhor setor para poder ajudar o interior do país a criar riqueza é o do turismo. Por isso, temos de potenciar a procura nas zonas do país mais afastadas dos centros de decisão e, igualmente, mais longe dos grandes centros de turismo. Trata-se de um importante contributo para a coesão económica e social do país", vincou o vice-presidente da bancada socialista.

Numa crítica ao anterior Governo PSD/CDS-PP, Carlos Pereira advoga que ficou demonstrado que o setor do turismo "precisa de medidas públicas e de uma estratégia para se desenvolver".

"Agora, o PS recomenda ao Governo que entre em outras áreas para a descentralização e diversificação da oferta turística. Julgo que as nossas propostas terão apoio maioritário, designadamente por parte das bancadas que fazem parte do acordo parlamentar", Bloco de Esquerda, PCP e PEV, acrescenta o líder do PS/Madeira.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado emitido hoje, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28