sicnot

Perfil

Economia

BCE deixa taxas de juro inalteradas sem apontar hipótese de nova redução

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu hoje deixar as taxas de juro inalteradas, com a taxa aplicável às principais operações de refinanciamento a manter-se em 0%.

Em comunicado divulgado após a reunião que decorreu em Tallinn, na Estónia, o BCE disse que as taxas de juro aplicáveis aos depósitos vão manter-se em -0,40% e as taxas para facilidade permanente de cedência de liquidez permanecem em 0,25%.

O texto refere que o BCE "espera que as taxas de juro diretoras permaneçam nos níveis atuais durante um período alargado e muito para além do horizonte das compras líquidas de ativos", mas deixou de assinalar a hipótese de qualquer corte adicional.

Até agora, os comunicados do BCE indicavam que a instituição esperava que as taxas de juro diretoras ficassem "nos níveis atuais ou em níveis inferiores" durante um período alargado.

No comunicado de hoje, o BCE confirma que o seu programa de compra de ativos se vai manter ao ritmo mensal de 60 mil milhões de euros até ao final de dezembro de 2017, ou até mais tarde, se necessário.

"Se as perspetivas passarem a ser menos favoráveis ou se as condições financeiras deixarem de ser consistentes com uma evolução no sentido de um ajustamento sustentado da trajetória de inflação, o Conselho do BCE está preparado para aumentar o volume e/ou a duração do programa", afirma a instituição.

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20