sicnot

Perfil

Madeleine McCann

Livro americano sobre o desaparecimento de "Maddie" defende teoria de Gonçalo Amaral

A teoria de que Madeleine McCann não foi raptada voltará a ser impressa nas páginas de um livro, desta vez da autoria de Brian Johnson. Escrito em inglês, “Faked Abduction” (Falso Rapto, em português) defende que a teoria de rapto fio montada para esconder o que o livro alega ser a verdade sobre o que aconteceu a Madeleine. A publicação está programada para a Internet e para o mercado norte-americano antes do Natal e serve como resposta à proibição do livro de Gonçalo Amaral, “Madeleine, A Verdade da Mentira”.

Em declarações à SIC, um dos responsáveis pela publicação do livro e autor do site truthfornadeleine.com afirmou ter estado em negociações com o antigo inspector da PJ para a publicação do livro em solo norte-americano. "As negociações foram canceladas após a decisão do juiz português, por isso decidimos escrever um livro em inglês que é factual e não especulativo", defendeu o responsável conhecido como Stevo.



Segundo a mesma fonte, o título "Faked Abduction" é a conclusão de um trabalho profundo de investigação. O documento inclui ainda inúmeros excertos dos ficheiros da investigação levada a cabo pela PJ está já a ser traduzido para alemão para uma possível publicação internacional.



Segundo o autor, o livro "ilustra as inconsistências das várias testemunhas, as constantes alterações nas versões e a falta de cooperação policial por parte dos McCann e dos seus amigos, conhecidos como os Tapas 7". "Os McCann tentaram impedir as pessoas de publicarem a verdade sobre o caso (…) depois de lerem o livro, decidam por vocês mesmo se esta foi ou não um Falso Rapto", afirma Brian Johnson no texto de apresentação de "Faked Abduction".



O porta-voz de Kate e Gerry McCann afirmou não ter conhecimento do livro mas assegurou que qualquer tentativa de difamação enfrentará a justiça.

  • Encontrado corpo de mariscador desaparecido no Barreiro

    País

    O corpo do homem com cerca de 50 anos apareceu esta manhã junto ao Clube Naval do Barreiro, na mesma zona onde tinha desaparecido na noite deste sábado. A informação já foi confirmada à SIC pela Polícia Marítima, que adiantou que o corpo já foi levado para a morgue. O alerta foi dado por volta das 22:30 de ontem pelos companheiros de nacionalidade chinesa que estavam com a vítima na apanha de bivalves na margem sul do Tejo.

  • Mais de duas mil pessoas retiradas do fogo junto ao parque Doñana, no Sul de Espanha

    Mundo

    O incêndio florestal começou ainda na noite deste sábado na aldeia de Las Peñuelas de Moguer, na província de Huelva e obrigou à evacuação de várias localidades e à retirada de mais de duas mil pessoas, de vários alojamentos turísticos (incluindo o Parador de Mazagon, dois parques de campismo e um hotel). Foi ainda ativado o plano de emergência da província.

  • Portugal "precisa avançar no trabalho" para reduzir crédito malparado
    1:36

    Economia

    Bruxelas recomenda e insiste que o Governo português avance no trabalho para resolver o crédito malparado. Em entrevista à SIC e ao Expresso, o vice-Presidente da Comissão para o Euro e Estabilidade Financeira, Valdis Dombrovskis, adianta que Bruxelas está também a preparar um Plano de Ação ao nível europeu.

    Entrevista SIC/Expresso

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.