sicnot

Perfil

Acidente aéreo na Colômbia

Acidente aéreo na Colômbia

Acidente aéreo na Colômbia

Neymar, Zico e outras estrelas do futebol homenageiam Chapecoense no Maracanã

© Ricardo Moraes / Reuters

Os futebolistas Neymar, Rafinha e Joan Capdevila e o ex-jogador Zico, entre outros, homenagearam na quarta-feira o clube Chapecoense no 13.º Jogo das Estrelas, disputado no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, Brasil.

O encontro, organizado pelo brasileiro Zico, destinou a maior parte das verbas angariadas aos familiares das vítimas do acidente aéreo de 28 de novembro na Colômbia, em que morreu quase toda a equipa do Chapecoense.

O avião transportava o clube brasileiro para o desafio da primeira mão da final da Taça Sul-americana, com os colombianos do Atlético Nacional, e caiu em Cerro Gordo, a 17 quilómetros do aeroporto de Medellín, supostamente por falta de combustível. Morreram 71 dos 77 ocupantes.

Entre as vítimas estavam quase todos os jogadores da Chapecoense, bem como dirigentes e jornalistas.

Na quarta-feira, num ambiente festivo, as bancadas do Maracanã começaram a receber adeptos duas horas antes do encontro, com quase 60 mil assentos de 78.800 disponíveis a ficarem ocupados.

As homenagens aconteceram antes do jogo e no intervalo da partida.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC