sicnot

Perfil

Airbus cai nos Alpes

Frio e falta de acessos dificultam operações de resgate de avião nos Alpes

Frio e falta de acessos dificultam operações de resgate de avião nos Alpes

A estrada mais próxima do local onde estão os destroços do Airbus fica a sete quilometros e a única forma de chegar é através de helicópteros. As operações de resgate estão a ser feitas por homens habituados a lidar com a alta montanha mas frio, neve e falta de acessos vão dificultaras buscas.

  • Destroços do avião a mais de dois mil metros de altitude
    2:22

    Airbus cai nos Alpes

    Uma das caixas-negras do A320 que se despenhou já foi recuperada. No terreno, decorrem as operações de resgate, mas as autoridades admitem que serão necessários vários dias para retirar os corpos. A área de destroços situa-se a dois mil metros de altitude nos alpes meridionais, uma zona montanhosa onde não há praticamente estradas acessíveis muito menos nesta altura do ano.

  • Grupo de 16 estudantes e 2 professores estavam entre passageiros do Airbus
    1:51

    Mundo

    Entres os passageiros do Airbus, que se despenhou nos Alpes, estava um grupo de estudantes e professores de uma escola alemã que regressava de uma semana de intercâmbio em Barcelona. Foi no meio de muita consternação que o autarca desta pequena cidade dos arredores de Dosseldorf, noticiou a tragédia. Minutos depois os colegas das 14 raparigas e dois rapazes começaram a colocar flores e velas na escadaria da escola.

  • Airbus 320 embateu contra maciço de L'Estrop
    1:11

    Airbus cai nos Alpes

    O avião da Germanwings despenhou-se nos Alpes, numa das zonas mais remotas e inacessíveis de França. O maciço L'Estrop tem altitude máxima de 2.981 metros e vários desfiladeiros e picos afiados. A região serve de cenário ao início da novela Miseráveis, de Vítor Hugo.

  • Governo quer reduzir gastos com papel na função pública
    1:08

    Economia

    O Governo proibiu a livre utilização das impressoras pelos funcionários públicos. O ministro das Finanças quer assim reduzir em 20% a despesa em consumo de papel e, ao mesmo tempo, minimizar a perigosidades dos resíduos produzidos com as impressoras, no Estado.