sicnot

Perfil

Airbus cai nos Alpes

Airbus cai nos Alpes

Airbus cai nos Alpes

Queda do A320 foi acidente e outra teoria é especulação, diz Lufthansa

A queda do Airbus 320 da Germanwings com 150 pessoas a bordo explica-se, nesta fase, como um acidente e qualquer outra teoria será especulação, afirmou hoje em Barcelona uma responsável da companhia aérea Lufthansa.

EPA

"Nesta fase, acreditamos que é um acidente, e tudo o mais é especulação", afirmou em conferência de imprensa a vice-presidente da Lufthansa para vendas e serviços na Europa, Heike Birlenbach.

A Germanwings é uma companhia aérea de baixo custo subsidiária da Lufthansa.

Sobre a nacionalidade dos passageiros que seguiam a bordo do avião, o responsável disse que ainda não pode dar aquela informação, porque não vão associar nomes a nacionalidades.

"A informação que temos sobre os passageiros são os nomes. Todos, na Lufthansa, estão profundamente chocados e tristes com o acidente", disse.

O A320 da companhia de baixo custo alemã Germanwings partiu hoje de manhã de Barcelona com destino a Düsseldorf, mas despenhou-se nos Alpes franceses, num local de muito difícil acesso, a cerca de 2.000 metros de altitude, perto da localidade de Barcelonnette, na região de Digne-les-Bains (sul de França).

As autoridades francesas confirmaram a morte de todas as 150 pessoas que estavam a bordo, 144 passageiros e seis tripulantes.









Lusa
  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.