sicnot

Perfil

Assalto em Tancos

Assalto em Tancos

Assalto em Tancos

Duas demissões por divergências com Chefe do Estado-Maior

O Exército confirmou este sábado a demissão do general José Calçada, comandante do Pessoal do Exército, que apresentou na sexta-feira um pedido de exoneração de funções. A notícia avançada pelo Expressso adianta também que o general Faria Menezes, atual comandante operacional das Forças Terrestres, vai apresentar a demissão na próxima segunda-feira.

Segundo a mesma fonte, ambos os generais ficaram indignados pela forma como o Chefe do Estado-Maior do Exército, o general Rovisco Duarte, demitiu os cinco coronéis responsáveis pelas rondas nos paióis de Tancos que foram assaltados.

O Expresso adianta que o general José Calçada apresentou um pedido de exoração das funções na sexta-feira e que o general Faria Menezes vai apresentar o mesmo pedido na segunda-feira.

Na rede social Facebook, o general Calçada publicou mesmo um poema de despedida:

"Chegou a hora de partir das fileiras/
Com grande tristeza no coração!/
Não era assim que queria, isso não!/
Mas às vezes não há outras maneiras…/

O Exército tudo me deu, nada me deve!".

"Dentro dos soldados que comandei, vocês sabem que ocupam um lugar especial! Um abraço para todos!", é com esta frase que o general termina a publicação.

Já o general Faria Menezes garante que a decisão que tomou nada tem a ver com o facto de ter sido preterido para o cargo de vice-chefe de Estado-Maior do Exército.

“Com a exoneração dos cinco comandantes houve uma quebra do vínculo sagrado entre comandantes e subordinados. Por respeito aos princípios e valores que perfilho, vejo-me obrigado a pedir a exoneração como comandante das Forças Terrestres”, afirmou, em declarações ao Expresso.

A SIC contactou o Exército, que não quis prestar quaisquer declarações sobre o caso.

  • João Galamba deixa de ser porta-voz do PS

    País

    João Galamba vai deixar de ser porta-voz do PS e de integrar a comissão permanente do partido. A nova porta-voz dos socialistas vai ser Maria Antónia Almeida Santos, que já integrava a comissão independente, órgão de direção política do PS.

  • Mariano Rajoy não vai convocar eleições antecipadas
    1:24

    Mundo

    O governo espanhol está por um fio por causa de um processo de corrupção a envolver dirigentes do PP. O PSOE apresentou uma moção de censura e o Ciudadanos pede eleições antecipadas. O chefe do governo, Mariano Rajoy, já disse que não vai convocar eleições.