sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Às 11:00, um minuto de silêncio pelas vítimas dos atentados

Em França cumpre-se hoje o terceiro dia de luto em memóra das vítimas dos atentados de Paris, no mesmo dia em que todos os países europeus são convidados a fazer um minuto de silêncio às onze da manhã, hora de Lisboa.

© Benoit Tessier / Reuters

Todos os países europeus são convidados a cumprir um minuto de silêncio às 12:00, (11:00 em Lisboa), em memória das vítimas dos atentados de Paris. Em Portugal, o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho irá cumprir a homenagem na residência oficial em São Bento, junto dos embaixadores dos Estados-membros da União Europeia.

O número de mortos mantém-se nos 129, sendo este o último balanço oficial provisório e não 132, como por lapso foi avançado pelas autoridades de saúde.

Enquanto se lembram as vítimas um pouco por todo o mundo, a polícia francesa mantém em curso uma grande operação de caça ao homem. Entre os procurados, está Salah Abdeslam de 26 anos, nascido em Bruxelas, cuja foto foi divulgada pela polícia.

As autoridades acreditam que os ataques de sexta-feira foram preparados por um grupo com base na Bélgica. Outro dos terroristas que se fez explodir no Bataclan era filho de mãe portuguesa.

França endureceu o combate contra o auto-proclamado Estado Islâmico na Síria. Pelo menos 130 pessoas morreram nos raides aéreos em Raqqa, a cidade controlada plo grupo extremista na Síria. O ataque incluiu 20 bombas e a participação de 10 caças numa operação desenvolvida em coordenação com os Estados Unidos.

  • A mudança de estratégia do "Estado Islâmico"
    3:00

    Ataques em Paris

    Os atentados de Paris e o eventual abate de um avião comercial russo nos céus do Egito mostram que o "Estado Islâmico" pode estar a mudar a sua estratégia militar. Com a perda de posições no Iraque e na Síria, bem como as dificuldades em financiar-se, o grupo parece apostar tudo em atacar o Ocidente. Tornou-se conhecido há cerca de ano e meio, sendo já decisivo no panorama internacional.

  • Dois lusodescendentes na lista de desaparecidos
    3:19

    Ataques em Paris

    Dois lusodescendentes estão na lista de pessoas desaparecidas, após os ataques em Paris. Quanto a vítimas, o balanço é, por agora, de dois portugueses mortos e quatro feridos. Priscille Correia, a jovem que foi morta pelos terroristas no Bataclan, tinha fortes ligações ao Montijo, onde os familiares e amigos recordaram este domingo as últimas memórias.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.