sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Marine Le Pen exige que França deixe imediatamente de acolher imigrantes

A líder da Frente Nacional (FN, extrema-direita) francesa, Marine Le Pen, reclamou hoje o "fim imediato de qualquer acolhimento de imigrantes em França" para evitar a infiltração de possíveis terroristas no país e evitar atentados.

CHRISTOPHE PETIT TESSON

A exigência de Marine Le Pen está contida num comunicado divulgado após a polícia francesa ter anunciado que um dos terroristas suicidas envolvidos nos atentados de sexta-feira em Paris, que causaram 129 mortos e mais de 350 feridos, tinha passaporte sírio e que entrou na Europa através da Grécia, em outubro.

"Esta precaução é imperiosa para a segurança dos franceses", sublinhou a líder do partido da extrema-direita em França.

"Por precaução, Marine Le Pen pede que cesse, de imediato, todo o acolhimento de imigrantes em França e a sua dispersão pelos municípios do país", lê-se no comunicado.

No documento, Marine Le Pen acusa também o Governo gaulês, bem como o principal partido da oposição, a UMP, recentemente rebatizado como Os Republicanos, de consentir a "asfixia migratória".

Os nossos receios e as nossas advertências sobre a possível presença «jihadista» entre os imigrantes que chegam ao nosso país são uma realidade desgraçadamente concretizada nos sangrentos atentados", conclui o comunicado.

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou no sábado, em comunicado, os atentados de sexta-feira em Paris, que causaram pelo menos 129 mortos, entre os quais dois portugueses.

Os ataques, perpetrados por pelo menos sete terroristas, que morreram, ocorreram em vários locais da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e o Stade de France, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que o Presidente François Hollande classificou como "ataques terroristas sem precedentes no país".

Lusa

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.