sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Primeiro-ministro húngaro diz que "terroristas exploraram migrações em massa"

O primeiro-ministro húngaro afirmou hoje que os autores dos atentados em Paris na sexta-feira "exploraram as migrações em massa" para a União Europeia (UE) e defendeu os direitos dos europeus à "autodefesa".

© Bernadett Szabo / Reuters

"De forma deliberada e organizada, os terroristas exploraram as migrações em massa ao misturarem-se com a multidão que deixou as suas residências à procura de uma vida melhor", disse Viktor Orban ao discursar no parlamento húngaro, onde voltou a defender uma "linha intransigente" em matéria de imigração.

O chefe do executivo húngaro descreveu o "direito à autodefesa" dos europeus como algo que "é mais forte que os outros" (direitos).

Lusa

  • Hungria continua a travar entrada de refugiados
    6:08

    SIC Europa

    Na rota dos Balcãs, a Hungria é o país que mais dificuldades coloca aos refugiados que procuram chegar à Europa. As fronteiras têm vedações de arame farpado e são impostas penas de prisão para quem entrar de forma ilegal. Mas a História da Hungria está cheia de fluxos de refugiados. Só em 1956, 200 mil húngaros viram-se obrigados a pedir refúgio fora do país quando fugiam da opressão do regime pró-soviético. A reportagem é dos enviados da SIC.

  • Número de mortos nos incêndios sobe para 44

    País

    Os incêndios florestais que deflagraram no domingo em várias zonas do país provocaram 44 mortos, disse esta sexta-feira a adjunta do comando nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC

  • Aberta nova frente de guerra no Iraque
    1:20

    Mundo

    Uma nova frente de guerra no Iraque está aberta. O exército de Bagdade combate as forças curdas e luta pelo controlo da província petrolífera de Kirkuk. Na origem da ofensiva está o referendo não reconhecido à independência do Curdistão.