sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Terceiro corpo encontrado em Saint-Denis, segundo foi identificado

Foi encontrado mais um corpo, de uma mulher, no apartamento em Saint-Denis, nos arredores de Paris, alvo do raide policial de quarta-feira. Sobe assim para três o número de vítimas mortais da operação, no âmbito da investigação aos atentados de há uma semana. Das duas mulheres encontradas, está confirmada a identidade de uma: Hasna Aitboulahcen, a mulher que se julga ser a bombista suicida que se fez explodir no decorrer da rusga.

© Christian Hartmann / Reuters

Hora depois de ter anunciado a existência de um terceiro corpo, a procuradoria de Paris confirmou a identidade de outra das vítimas. Trata-se de Hasna Aitboulahcen, cujo passaporte também foi encontrado, prima de Abdelhamid Abaaoud, a outra vítima confirmada da opertação e tido como o mentor dos ataques que fizeram 129 mortos na sexta-feira passada.

O terceiro corpo foi encontrado nos escombros na noite passada, tal como um passaporte em nome de Aitboulahcen.

Várias fontes tinham adiantado já que Hasna Aitboulahcen era a bombista suicida que se fez explodir logo no início do assalto policial.

Permanece assim por identificar um corpo.

Entretanto, foi revelado que Abaaoud já estava em Paris antes dos atentados.

Abdelhamid Abaaoud foi visto nas imagens de vigilância do Metro de Paris na noite da tragédia, por volta das 22:00 em Croix de Chavaux. A estação fica a cerca de 250 metros do local onde a polícia encontrou um carro com três armas lá dentro, usado pelos homens que dispararam contra vários bares e restaurantes na noite dos ataques.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.