sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Abdeslam confessou a cúmplices envolvimento nos atentados em Paris

O belga Salah Abdeslam, alvo de um mandado de detenção pelo alegado envolvimento nos atentados em Paris, confessou aos cúmplices que o ajudaram a fugir que participou na matança das 130 pessoas, informou hoje o jornal Le Parisien.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Charles Platiau / Reuters

"Disse ter estado num carro e ter usado uma 'kalashnikov' para matar pessoas", segundo o relato de um dos dois cúmplices, que foram detidos e acusados de "assassinato terrorista e participação em atividades de uma organização terrorista".

Abdeslam acrescentou que deixou propositadamente num carro abandonado o documento de identidade do seu irmão Brahim, que fez parte do designado 'comando das esplanadas', para que fosse "conhecido em todo o mundo".

De acordo com o relato, na viagem para a Bélgica, Abdeslam, de 26 anos, estava "tenso", dizia que planeava "vingar-se" pela morte do irmão e que "os franceses o iam torturar" se o capturassem.

O fugitivo comprou roupa num supermercado para se mudar, arranjou um novo telemóvel e rapou o cabelo depois de ter tentado sem sucesso pintá-lo num cabeleireiro, indica o Le Parisien.

O diário refere ainda que Abdeslam não foi para o seu bairro de Molenbeek em Bruxelas, tendo pedido que o conduzissem a Schaerbeerk, nos subúrbios da capital belga, onde o esperava uma terceira pessoa e que se despediu dizendo que não o voltariam a ver.

Os atentados do dia 13 de novembro em Paris, reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, fizeram 130 mortos e centenas de feridos.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.