sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Abdeslam planeava "qualquer coisa" em Bruxelas

Salah Abdeslam planeava fazer "qualquer coisa" em Bruxelas depois dos atentados de novembro em Paris, afirmou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros belga, Didier Reynders.

Abdeslam está detido na prisão de alta segurança de Bruges

Abdeslam está detido na prisão de alta segurança de Bruges

© Eric Vidal / Reuters

O ministro, que falava numa conferência internacional organizada em Bruxelas pelo instituto norte-americano German Marshall Fund, afirmou também estar certo de que houve "mais de 30 pessoas envolvidas nos ataques terroristas em Paris".

"Os primeiros comentários de Salah Abdeslam ontem [sábado] foram que queria ir ao Stade de France e que ia fazer-se explodir, mas não o fez. E a outra informação foi que estava disposto a recomeçar qualquer coisa em Bruxelas", disse o ministro, citado num comunicado do instituto norte-americano.

"E provavelmente é verdade, porque encontrámos muitas armas, armas pesadas, nas primeiras investigações e encontrámos uma rede nova em volta dele em Bruxelas", acrescentou o ministro.

Reynders disse também estar certo nesta altura de que houve "mais de 30 pessoas envolvidas nos ataques terroristas em Paris".

"Depois dos atentados de Paris, eu disse a uma televisão dos Estados unidos que estávamos à procura de cerca de 10 pessoas com armas pesadas. Temos bastante mais do que isso desde novembro, não só na Bélgica como em França. Temos a certeza de que encontrámos mais de 30 pessoas envolvidas nos ataques terroristas de Paris mas também temos a certeza de que há outros", disse o ministro, segundo a mesma fonte.

Salah Abdeslam, que as autoridades francesas consideram ter tido um papel determinante na logística dos ataques de Paris, foi detido na sexta-feira no bairro de Molenbeek, em Bruxelas, depois de mais de quatro meses em fuga.

De nacionalidade francesa mas residente em Bruxelas há vários anos, na noite dos atentados Abdeslam fugiu de automóvel de Paris para Bruxelas, onde terá estado escondido em diferentes casas de diferentes bairros da capital belga.

No sábado, Abdeslam, alvo de um mandado de captura internacional, foi formalmente acusado pela justiça belga de "homicídios terroristas" e "participação em atividades de organização terrorista".

Os atentados de 13 de novembro em Paris, reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, fizeram 130 mortos e mais de 300 feridos.

Lusa

  • Advogado de Abdeslam vai apresentar queixa contra procurador francês
    1:45

    Mundo

    O suspeito pelos atentados de Paris passou a primeira noite na prisão de alta segurança de Bruges, na Bélgica. Salah Abdeslam mantém a recusa em ser extraditado para França, garante que é um arrependido e que não participou nos ataques. O advogado de defesa vai apresentar queixa contra o procurador de Paris, que no sábado revelou à imprensa partes do interrogatório ao suspeito dos atentados de Paris.

  • Salah Abdeslam quer ser julgado na Bélgica
    1:31

    Ataques em Paris

    Salah Abdeslam já foi formalmente acusado pela justiça belga de homicídio terrorista. Também já se sabe que o suspeito dos atentados de Paris capturado na sexta-feira em Bruxelas vai recusar a extradição. Esta recusa pode atrasar o processo mas não impede a transferência do acusado para França já que Abdeslam era alvo de um mandado de detenção internacional.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.

  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.