sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Dois acusados de ajudar Salah Abdeslam entregues pela Bélgica à França

Mohammed Amri e Ali Oulkadi, acusados de terem ajudado na fuga o suspeito chave dos atentados de Paris Salah Abdeslam, foram hoje entregues pela Bélgica às autoridades francesas, indicou o ministério público belga.

Salah Abdeslam

Salah Abdeslam

Os dois homens foram entregues à justiça francesa em execução do mandado de captura europeu emitido pelos juízes de instrução parisienses encarregados do inquérito sobre os atentados de 13 de novembro, de acordo com um comunicado do ministério público belga.

A justiça belga tinha aprovado em junho a transferência dos dois acusados para França.

Mohammed Amri, de 27 anos, é suspeito de ter levado no seu veículo Salah Abdeslam para Bruxelas, algumas horas depois dos atentados, na companhia de Hamza Attou, que foi transferido na passada semana para França.

Amri foi detido a 14 de novembro na zona de Molenbeek, em Bruxelas, de onde são originárias várias das pessoas implicadas nos atentados de Paris.

Já Ali Oulkadi, de 31 anos, francês também de Molenbeek, transportou Salah Abdeslam em Bruxelas no dia seguinte aos atentados, de acordo com o advogado do acusado.

A 9 de junho, a justiça belga aprovou também à transferência para França de Mohamed Abrini, um outro suspeito chave dos atentados de Paris e igualmente alvo de um mandado de captura europeu emitido pelos juízes de instrução franceses.

Abrini não vai ser imediatamente entregue às autoridades francesas, uma vez que foi acusado na Bélgica pela participação nos atentados que causaram 32 mortos, a 22 de março, no aeroporto e no metropolitano de Bruxelas.

Hoje, o Supremo Tribunal (Tribunal de Cassação) belga publicou uma decisão que poderá levar a novos atrasos na execução da transferência de Mohamed Abrini. O tribunal anulou uma parte da decisão, que deve ser reexaminada pelo tribunal de recurso, relativa ao local onde o acusado deve cumprir pena.

O Supremo belga validou a execução do mandado de captura e, desta forma, a "luz verde" dos juízes à transferência de Mohamed Abrini para França.

Lusa

  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.