sicnot

Perfil

Atentado em Nice

França decreta luto nacional de três dias

O Presidente francês, François Hollande, decretou três dias de luto nacional, de sábado a segunda-feira, na sequência do atentado em Nice (sudeste) que fez pelo menos 84 mortos na quinta-feira à noite, anunciou o primeiro-ministro.

© Philippe Wojazer / Reuters

Um projeto de lei para prolongar até final de outubro o estado de emergência, em vigor no país desde os atentados terroristas de novembro de 2015 em Paris, vai ser apresentado na quarta e quinta-feira ao parlamento, acrescentou Manuel Valls, no final de uma reunião de crise no Eliseu.

Valls afirmou que o "ato terrorista" em Nice prova, uma vez mais, que existe uma "situação de guerra" e garantiu que a França não se deixará desestabilizar, nem cederá perante os terroristas.

"A França é um grande país e uma grande democracia que não se deixará desestabilizar", sublinhou Valls, numa breve declaração pública no final do conselho de segurança e de defesa, a que presidiu Hollande.

Os serviços de segurança franceses identificaram o motorista do camião, que lançou o veículo contra a multidão na avenida marginal de Nice, como um cidadão franco-tunisino de 31 anos, residente na cidade.

As autoridades francesas consideram estar perante um atentado terrorista e o Presidente de França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais três meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado.

A autoria do ataque ainda não foi reivindicada.

Lusa

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.