sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Imprensa internacional destaca "o horror, de novo" em França

A imprensa internacional dedica hoje as suas manchetes ao atentado cometido durante as celebrações do Dia da Bastilha, em Nice, que causaram pelo menos 77 mortos, segundo um balanço provisório, recordando os vários ataques ocorridos em França nos últimos tempos.

Christian Alminana

"Carnificina em Nice" é o título que marca a primeira página do jornal Nice-Matin, dominada por uma foto de inúmeros corpos cobertos com mantas brancas e, ao fundo, as traseiras do camião branco que as atropelou.

"O autor do ataque, abatido pelas forças da ordem, é um cidadão de Nice de origem tunesina de 31 anos", escreve o jornal, que se refere ao "horror e à solidariedade espontânea das vítimas".

Na manchete da sua primeira edição de sexta-feira, o francês Le Figaro também dedica toda a primeira página ao assunto com uma fotografia da frente do camião e o título "o horror, de novo".

Título idêntico no Le Parisien, que descreve "O horror em Nice" com a mesma imagem do Le Figaro e uma segunda mostrando corpos tapados com cobertores azuis e várias pessoas nos momentos depois da tragédia.

Uma foto de vários corpos espalhados na rua e cobertos com mantas brancas domina também a manchete da edição online do El Pais, que destaca os perto de oitenta mortos em Nice, descrevendo "cenas de caos e pânico" e sublinhando que no camião foram encontradas armas e explosivos.

Relatos na primeira pessoa, cronologias sobre os recentes atentados cometidos em França e as reações que começam a chegar de vários pontos do mundo completam a cobertura, que inclui uma extensa galeria de fotos e vídeo galeria.

O norte-americano Washington Post opta por uma fotografia do camião, com a frente danificada e rodeado por investigadores em capas brancas, sublinhando que "o motivo do ataque continua a ser desconhecido" mas que o incidente "está a ser tratado como um atentado".

Foto idêntica no britânico The Guardian, que tem estado a acompanhar em permanência os desenvolvimentos em Nice, destacando o facto de o condutor estar armado e recordando casos como o atentado no jornal revista Charlie Hebdo e outros recentes em França.

A notícia domina também as páginas online - assim como a cobertura televisiva - dos principais canais internacionais de televisão, nomeadamente BBC, CNN, Al Jazeera e France 24.

A BBC inclui vários vídeos, entre os quais imagens divulgadas por testemunhas e que estão a dominar as redes sociais.

"Ataque com camião mata 77" é a manchete na CNN, que refere que o condutor do camião foi morto a tiro e que o veículo tinha armadas e granadas.

"Testemunhas detalham danos, corpos, restos em todo o lado", escreve a cadeia de televisão.

O australiano Sydney Morning Herald também dedica grande espaço à tragédia em França, considerando num artigo de opinião que o atentado "lembra que os terroristas não precisam de armas" no que foi o "pior dia da história para Nice".

Lusa

  • Polémica "Supernanny" em debate hoje na SIC
    2:25
  • Centeno aponta para a reforma e expansão do euro
    0:32

    Economia

    O ministro das Finanças português participa hoje na primeira reunião enquanto presidente do Eurogrupo. À entrada para o encontro dos ministros das Finanças da moeda única, Mário Centeno apontou a reforma do Euro como um dos principais desafios do mandato que agora inicia. 

  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    A Justiça espanhola pediu à Dinamarca para ativar a ordem de detenção europeia contra Carles Puigdemont, que ignorou as ameaças de detenção e decidiu deslocar-se a Copenhaga para participar numa conferência. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

    Luís Marques Mendes

  • O caso Assange é "um problema" para o Equador

    Mundo

    O Presidente equatoriano, Lenin Moreno, declarou no domingo que o asilo atribuído ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, pela embaixada do Equador em Londres desde 2012 é "um problema herdado" que constitui "mais que um aborrecimento".