sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Parlamento unânime na condenação e pesar pelo atentado em Nice

O parlamento foi hoje unânime na aprovação de um voto de condenação e pesar pelo atentado com um camião em Nice, França, que provocou 84 mortos no Dia Nacional de França, 14 de julho.

© Eric Gaillard / Reuters

Na última sessão plenária da I sessão legislativa da XIII Legislatura antes das férias de verão, todos os grupos parlamentares votaram favoravelmente, na presença do embaixador francês em Lisboa, guardando em seguida um minuto de silêncio em memória das vítimas.

"Em Nice, um camião avançou cobardemente sobre centenas de pessoas que estavam a celebrar os valores da liberdade, da igualdade e da fraternidade", lê-se no texto da Assembleia da República.

Os deputados subscritores declaram que "Portugal diz presente por uma política que afirme e defenda os valores da liberdade, democracia e soberania dos estados, orientada para uma cultura de segurança e cooperação nas relações internacionais".

Lusa

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.