sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Cinco pessoas em prisão preventiva por suspeitas de cumplicidade no ataque de Nice

As autoridades judiciais francesas decidiram esta quinta-feira colocar em prisão preventiva as cinco pessoas suspeitas de serem cúmplices do homem que perpetrou o ataque em Nice de 14 de julho, que provocou a morte de 84 pessoas.

Três dos suspeitos foram acusados de atuar como cúmplices em "assassínio de um grupo com ligações terroristas", disse o gabinete do Procurador de Paris.

Os outros dois foram acusados de "violar a lei sobre armas em relação a um grupo terrorista".

O procurador de justiça, François Molins, afirmou quinta-feira que o condutor do camião usado no ataque de Nice, Mohamed Lahouaiej Bouhlel, tinha tido ajuda na preparação do ataque de cinco suspeitos.

Molins disse que quatro homens e mulheres estiverem "envolvidos na preparação" do ataque, que foi planeado com meses de antecedência.

No dia 14 de julho, um camião avançou durante dois quilómetros sobre uma multidão que estava a assistir ao fogo-de-artifício para celebrar o dia de França na Promenade des Anglais, em Nice

O último balanço das autoridades francesas aponta para 84 mortos e 202 feridos. Pelo menos quatro cidadãos portugueses ficaram feridos no ataque, confirmou o Governo.

As autoridades francesas consideraram estar-se perante um atentado e o Presidente da França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais seis meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado.

O condutor do camião foi abatido pela polícia e o autoproclamado Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado.

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50