sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Um ano depois do atentado terrorista em Nice

Um ano depois do atentado terrorista em Nice

O feriado do 14 de Julho ficará para sempre marcado pelo atentado terrorista que há um ano matou 86 pessoas em Nice, no sul de França. Milhares de pessoas prestaram homenagem às vítimas do ataque.

  • Trump e Merkel em Paris no dia da Bastilha
    1:53

    Mundo

    O Presidente dos EUA, Donald Trump e a Chanceler alemã, Angela Merkel, estão ambos em Paris, para participar nas comemorações do 14 de julho, a data que assinala a tomada da Bastilha, em 1789.Durante a manhã, a Primeira-dama dos Estados Unidos, Melania Trump, visitou um hospital pediátrico da capital francesa, enquanto a chanceler alemã encontrou-se com o Presidente Emmanuel Macron, numa mini-cimeira que acontece na véspera do 1º aniversário do atentado em Nice, que matou 86 pessoas. Em Paris, a segurança voltou a ser reforçada, com mais de 10.000 polícias nas ruas.

  • Patinadora enfrenta "pesadelo" nos Olímpicos

    Desporto

    A patinadora Gabriella Papadakis enfrentou na segunda-feira um dos "piores pesadelos" da sua vida, durante a estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Durante a apresentação, a parte de cima do vestido da francesa saiu do lugar e revelou parte do seu seio. Mas este não foi o único caso de incidentes com figurinos. Também a sul-coreana Yura Min quase ficou despida durante a sua apresentação.

    SIC

  • O vestido de Jennifer Lawrence que está a dar que falar

    Cultura

    Jennifer Lawrence escolheu um vestido arrojado para usar na sessão fotografia do próximo filme e a internet reagiu. Muitas foram as críticas feitas, que davam conta de uma roupa "demasiado reveladora" para o frio que se fazia sentir em Londres. Mas Jennifer Lawrence não deixou passar, criticando os comentários "sexistas" e "nada feministas".

    SIC

  • Proposta criação de 77 mil empregos através de uma descida da TSU
    1:23
  • Governo enfrenta vaga de contestação
    2:35

    Economia

    O Governo enfrenta uma onda de contestação. Guardas prisionais, procuradores, professores, médicos e enfermeiros descontentes ameaçam com greves nos diferentes setores, já nos meses de março e abril.

  • 296 mortos em 2 dias de bombardeamentos em Ghouta Oriental
    2:16
  • Tiroteio na Florida foi o 18.º registado em meio escolar nos EUA desde janeiro
    1:25