sicnot

Perfil

Autárquicas 2017

Autárquicas 2017

Autárquicas 2017

Candidatos à Câmara de Oeiras prometem rever plano polémico no Jamor

O debate realizou-se na quarta-feira no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários do Dafundo, em Linda-a-Velha.

Facebook Associação Vamos Salvar o Jamor

Nove dos 13 candidatos à Câmara de Oeiras que ontem debateram o Plano de Pormenor da Margem Direita do Rio Jamor prometeram rever, e alguns anular, o projeto que tem sido contestado pelos munícipes.

A associação "Vamos Salvar o Jamor" promoveu ontem à noite um debate sobre o Plano de Pormenor da Margem Direita da Foz do Rio Jamor, que prevê a viabilização do empreendimento Porto Cruz, no espaço da antiga fábrica da Lusalite, na Cruz Quebrada, com vista à construção de uma marina, oito edifícios, dos quais cinco torres com até 20 pisos e viadutos rodoviários.

Para o debate foram convidados os 13 candidatos à Câmara de Oeiras nas próximas eleições autárquicas e apenas quatro estiveram ausentes, entre os quais Paulo Vistas, presidente da câmara e candidato pelo IOMAF (Independentes Oeiras Mais À Frente) e Isaltino Morais, ex-autarca e candidato pelo IN-OV (Inovar Oeiras de Volta).

Heloísa Apolónia (CDU), Pedro Torres (PAN), Miguel Pinto (BE), Safaa Dib (Livre), Isabel Sande e Castro (Nós, Cidadãos!) prometeram anular o projeto assim que forem reeleitos, considerando que o que está previsto protege o interesse de privados e não o da população.

Por seu turno, Sónia Gonçalves (Renascer Oeiras) admitiu que "o projeto tem de ter uma concretização" e Ângelo Pereira (PSD/CDS-PP/PPM) prometeu "reabrir o debate e uma profunda revisão do plano de pormenor".

O candidato do PS, Joaquim Raposo, recusou discutir o plano em causa e disse ter um projeto alternativo, "um plano estratégico que tem de ir até ao limite do território" e que aponta "o mar como o mais importante e, por isso, as praias têm de ser reabilitadas".

Pedro Perestrello (PNR) reconheceu que "não há um projeto ideal" para o Jamor, mas que aquele local precisa de uma intervenção na zona.

O projeto Porto Cruz, cujo investimento privado está estimado em 250 milhões de euros, prevê a demolição da antiga fábrica Lusalite, que tem também motivado várias denúncias sobre amianto.

A associação já criou uma petição pública e apresentou uma ação judicial para contestar o projeto, defendendo tratar-se de um "atentado ambiental e paisagístico" que irá "destruir a zona ribeirinha de Oeiras".

Quando o projeto foi discutido em assembleia municipal, o presidente da Câmara de Oeiras, Paulo Vistas, assegurou que aquele era mesmo para avançar. A

Câmara de Oeiras aprovou o plano de pormenor com os votos a favor do PSD, PS e IOMAF (Isaltino Oeiras Mais à Frente) e os votos contra da CDU. Na Assembleia Municipal, apenas o PSD e o IOMAF votaram a favor, o PS absteve-se e o Bloco de Esquerda, CDU e CDS votaram contra.

Lusa

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57