sicnot

Perfil

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Israel encontrou destroços do avião da Egyptair que caiu no Mediterrâneo

Israel anunciou hoje que encontrou, na sua costa, destroços que "têm uma alta probabilidade" de pertencer ao avião da Egyptair que se despenhou no mar Mediterrâneo no dia 19 de maio, com 66 pessoas a bordo.

© Christian Hartmann / Reuters

Segundo as autoridades israelitas, os destroços do aparelho, que realizava a rota Paris-Cairo, apareceram esta quinta-feira na costa oeste do país, perto da cidade de Netanya, no norte de Telavive.

As 66 pessoas desaparecidas nos destroços do avião eram provenientes de vários países, nomeadamente do Egito, França, Iraque, Canada, Argélia, Bélgica, Reino Unido, Chade, Arábia Saudita e Sudão. Um cidadão português estava entre os desparacidos.

O Airbus A-320 desapareceu do radar na madrugada de 19 de maio, após sobrevoar o espaço aéreo egípcio em pouco mais de um quilómetro, acabando por de despenhar nas águas do mar Mediterrâneo.

De momento, as causas da tragédia são desconhecidas. No entanto, é esperado um esclarecimento sobre o ocorrido após a análise das caixas negras, que foram transferidas para França.

Segundo um anúncio recente do Ministério da Aviação Civil do Egito, "a unidade de memória onde estão registadas as conversações dos pilotos encontra-se em bom estado".

Com Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".