sicnot

Perfil

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Israel encontrou destroços do avião da Egyptair que caiu no Mediterrâneo

Israel anunciou hoje que encontrou, na sua costa, destroços que "têm uma alta probabilidade" de pertencer ao avião da Egyptair que se despenhou no mar Mediterrâneo no dia 19 de maio, com 66 pessoas a bordo.

© Christian Hartmann / Reuters

Segundo as autoridades israelitas, os destroços do aparelho, que realizava a rota Paris-Cairo, apareceram esta quinta-feira na costa oeste do país, perto da cidade de Netanya, no norte de Telavive.

As 66 pessoas desaparecidas nos destroços do avião eram provenientes de vários países, nomeadamente do Egito, França, Iraque, Canada, Argélia, Bélgica, Reino Unido, Chade, Arábia Saudita e Sudão. Um cidadão português estava entre os desparacidos.

O Airbus A-320 desapareceu do radar na madrugada de 19 de maio, após sobrevoar o espaço aéreo egípcio em pouco mais de um quilómetro, acabando por de despenhar nas águas do mar Mediterrâneo.

De momento, as causas da tragédia são desconhecidas. No entanto, é esperado um esclarecimento sobre o ocorrido após a análise das caixas negras, que foram transferidas para França.

Segundo um anúncio recente do Ministério da Aviação Civil do Egito, "a unidade de memória onde estão registadas as conversações dos pilotos encontra-se em bom estado".

Com Lusa

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Romelu Lukaku: força, potência e intensidade

    Mundial 2018 / Bélgica

    O avançado Romelu Lukaku foi eleito o Homem do Jogo entre Bélgica e Panamá. Num registo ofensivo em que a força e a potência são pilares para o sucesso junto às redes adversárias, Lukaku representa uma ameaça temível para qualquer defesa. Aos 25 anos, o ponta de lança que José Mourinho foi buscar ao Everton para dar outra intensidade ao ataque do Manchester United vive o melhor momento da carreira. Para já, assume-se como um candidato de respeito na corrida à Bota de Ouro deste Mundial.

  • Andreas Granqvist: o homem que destronou Ibrahimović

    Mundial 2018 / Suécia

    Depois de marcar o penálti que garantiu a vitória da Suécia frente à República da Coreia, Andreas Granqvist conquistou o título de homem do jogo. O capitão da equipa sueca foi também o vencedor da Bola de Ouro atribuída ao melhor futebolista sueco, em 2017, roubando o prémio ao carismático Ibrahimović, que já recebia a distinção há 10 anos consecutivos. Granqvist deu a vitória à Suécia e colocou a seleção escandinava no topo do grupo F, ao lado do México. Aos 32 anos, o defesa central é já um conhecedor dos relvados russos, já que alinha no FK Krasnodar.

  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Madonna esteve no Terreiro do Paço a ver o Brasil-Suíça
    0:15
  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC