sicnot

Perfil

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Israel encontrou destroços do avião da Egyptair que caiu no Mediterrâneo

Israel anunciou hoje que encontrou, na sua costa, destroços que "têm uma alta probabilidade" de pertencer ao avião da Egyptair que se despenhou no mar Mediterrâneo no dia 19 de maio, com 66 pessoas a bordo.

© Christian Hartmann / Reuters

Segundo as autoridades israelitas, os destroços do aparelho, que realizava a rota Paris-Cairo, apareceram esta quinta-feira na costa oeste do país, perto da cidade de Netanya, no norte de Telavive.

As 66 pessoas desaparecidas nos destroços do avião eram provenientes de vários países, nomeadamente do Egito, França, Iraque, Canada, Argélia, Bélgica, Reino Unido, Chade, Arábia Saudita e Sudão. Um cidadão português estava entre os desparacidos.

O Airbus A-320 desapareceu do radar na madrugada de 19 de maio, após sobrevoar o espaço aéreo egípcio em pouco mais de um quilómetro, acabando por de despenhar nas águas do mar Mediterrâneo.

De momento, as causas da tragédia são desconhecidas. No entanto, é esperado um esclarecimento sobre o ocorrido após a análise das caixas negras, que foram transferidas para França.

Segundo um anúncio recente do Ministério da Aviação Civil do Egito, "a unidade de memória onde estão registadas as conversações dos pilotos encontra-se em bom estado".

Com Lusa

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC