sicnot

Perfil

Banif

Banif

Banif

Conselho de Ministros reúne-se hoje para aprovar orçamento retificativo

O Conselho de Ministros vai reunir-se hoje de manhã para discutir e aprovar um orçamento retificativo, na sequência do processo Banif, disse fonte do gabinete do primeiro-ministro.

LUSA


A reunião do Conselho de Ministros está marcada para as 09:00 e hoje mesmo o documento deverá ser enviado à Assembleia da República, disse a fonte.

O orçamento retificativo surge na sequência da venda do Banif ao Banco Santander Totta, por 150 milhões de euros, um processo que envolve um apoio público estimado de 2.255 milhões de euros.

O primeiro-ministro, António Costa, numa comunicação ao país na noite de domingo, disse que a venda "tem um custo muito elevado para os contribuintes", mas é a solução "que melhor defende o interesse nacional".

Um comunicado do Banco de Portugal explicitou que a operação envolve "um apoio público estimado em 2.255 milhões de euros que visam cobrir contingências futuras, dos quais 489 milhões de euros pelo Fundo de Resolução e 1.766 milhões diretamente do Estado".

A alienação foi tomada "no contexto de uma medida de resolução".

Antes desta decisão do Governo, a administração do banco recebeu, na sexta-feira, seis propostas de compra. Foram conhecidas as ofertas dos bancos Santander e Popular, do fundo de investimento americano J. C. Flower, da Apollo e de um fundo sino-americano.

As ações do Banif estão suspensas de negociação desde quinta-feira, por decisão da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que disse estar a aguardar a "prestação de informação relevante" sobre o processo de venda. Quando foram suspensos, os títulos estavam a valorizar 43% para 0,002 euros (0,2 cêntimos).

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.