sicnot

Perfil

Banif

Banif

Banif

Banco de Portugal proíbe Banif de dar crédito e receber depósitos

O Banif está proibido de conceder crédito e receber depósitos, de acordo com uma deliberação do Banco de Portugal (BdP), divulgada ontem na página da Internet do regulador bancário.

Tiago Petinga/ Lusa

Na deliberação, aprovada após uma reunião extraordinária do conselho de administração do Banco de Portugal realizada no domingo à noite, o BdP salienta que ao transferir a "parcela mais significativa da atividade e do património do Banif para a Naviget e para o Banco Santander Totta, aquele deixou de reunir condições para exercer a sua atividade de forma autónoma ou para continuar a operar no mercado em condições de normalidade".

No âmbito das "medidas de intervenção corretiva" tomadas para "preservar a estabilidade do sistema financeiro português" o Banif fica proibido de conceder crédito e aplicar fundos em quaisquer espécies de ativos, exceto quando estas aplicações sejam necessárias para preservar e valorizar o ativo, bem como de receber depósitos.

O Banif fica igualmente dispensado da "observância das normas prudenciais aplicáveis pelo prazo de um ano", a contar da data da deliberação.

O Governo e o Banco de Portugal decidiram no domingo a venda da atividade do Banif e da maior parte dos seus ativos e passivos ao Banco Santander Totta por 150 milhões de euros, enquanto os ativos recusados pelo Santander foram transferidos para uma sociedade veículo de nome Naviget.

Lusa

  • Venda do Banif em análise
    7:42

    Banif

    O Banif foi vendido ao Santander Totta por 150 milhões de euros com perdas para os contribuintes. O Santander Totta fica com trabalhadores, balcões e depósitos. Será criada uma sociedade para os ativos tóxicos do banco e há também um banco mau que fica com ativos de risco. O Estado perde 825 milhões de euros aplicados no banco há 3 anos. A solução vai custar mais 2.555 milhões de euros ao Estado, 489 milhões são emprestados ao Fundo de Resolução. O Estado vai gastar ainda 1.016 milhões de euros para um aumento de capital direto do banco. O primeiro-ministro diz que se deparou com situação de urgência e garante que solução assegura depósitos. O ministro das Finanças diz que adiamento da solução fez aumentar custos da intervenção para salvar o banco. "Neste momento o risco é de uma perda de 3.500 milhões de euros". Estes foram alguns dos pontos passados em revista.

  • Costa responsabiliza anterior Governo pelo arrastar do processo do Banif
    2:05

    Banif

    António Costa responsabiliza o anterior Governo pelo arrastar do processo do Banif. Numa primeira fase, o Executivo de Passos Coelho terá pedido mais tempo a Bruxelas para não comprometer a saída do programa de assistência. Mas, numa carta enviada a Maria Luís Albuquerque – e, a que a TSF teve acesso, a Comissão Europeia volta a insistir numa rápida solução para o Banco. Já na semana passada, o presidente executivo do Banif dizia à SIC que foi o anterior Governo que não quis abrir um concurso para vender o banco.

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.