sicnot

Perfil

Banif

Banif

Banif

Ex-administrador do Banif assume que ficou surpreendido com resolução do banco

O antigo administrador do Banif Joaquim Marques dos Santos está hoje a ser ouvido na comissão de inquérito sobre o banco e já declarou perante os deputados ter ficado surpreendido com a resolução, definida em dezembro de 2015.

MARIO CRUZ / LUSA

Questionado pela deputada do PSD Margarida Mano sobre se a resolução do banco o surpreendeu, Marques dos Santos foi direto: "Surpreendeu", disse, sem mais acrescentar.

Antes, o antigo presidente executivo do Banif - que sucedeu ao fundador Horácio Roque, falecido em 2010 - lembrou que o banco procurou entre 2010 e 2011 "no Brasil, Espanha e Reino Unido" capitalizar a instituição.

"Por uma razão ou outra não conseguimos", reconheceu Marques dos Santos.

O Banif viria posteriormente a recorrer à linha da 'troika', disponibilizada durante o programa de ajustamento económico, para o setor bancário.

Joaquim Marques dos Santos começou a sua intervenção no parlamento por dizer que, após a sua saída do banco, em 2012, nunca teve "contactos formais" com os órgãos sociais do Banif.

Todas as decisões que tomou enquanto presidente do banco estão "devidamente documentadas e justificadas com todo o seu fundamento", acrescentou, insistindo que, desde 2012, tudo o que sabe do Banif foi o que veio noticiado na comunicação social.

A auditoria forense de 2014 do Banco de Portugal não contou, portanto, com o seu contributo: "Nunca fui ouvido na auditoria, nem nessa nem em nenhuma outra", vincou aos deputados da comissão de inquérito.

As audições na comissão parlamentar de inquérito à resolução do Banif começam hoje: de manhã é ouvido o antigo administrador Marques dos Santos, e de tarde prestará esclarecimentos aos deputados o também antigo administrador Jorge Tomé.

O processo de venda do banco, em dezembro de 2015, domina os trabalhos para se proceder à "avaliação de riscos e alternativas" da decisão, "no interesse dos seus trabalhadores, dos depositantes, dos contribuintes e da estabilidade do sistema financeiro".

Também a avaliação do "comportamento da autoridade de supervisão financeira", o Banco de Portugal, sobre o caso Banif, é um dos objetivos da comissão parlamentar de inquérito sobre a venda do banco.

A comissão também tem já agendadas as próximas audições: na quarta-feira, serão ouvidos Luís Amado, ex-administrador do Banif, e, na quinta-feira, será a vez de António Varela, antigo administrador nomeado pelo Estado (de 2013 a 2014) e administrador do Departamento de Supervisão Prudencial do Banco de Portugal (desde 2014 até março 2016).

Lusa

  • Pagaram 10 libras por diamante que vale milhares

    Mundo

    Há 30 anos um comprador adquiriu um anel de diamantes de 26.27 quilates por apenas 10 libras (cerda de 11 euros) numa feira em Isleworth, no oeste Londres. O proprietário passeou durante três décadas com uma peça que valia cerca de 350.000 libras (407.000€) e não sabia. Confessa que até a usava durante as tarefas domésticas.

    SIC

  • Leão-marinho arrasta criança de doca em Vancouver
    0:51

    Mundo

    O momento em que um leão-marinho arrasta uma menina para a água foi gravado e publicado na internet. Sem nada que fizesse prever, o animal puxou a criança que estava sentada numa doca em Vancouver, no Canadá. A criança foi resgatada de imediato por um familiar e apesar do susto não sofreu ferimentos. O momento de aflição foi testemunhado por vários turistas.

  • Caçador morre esmagado por elefante

    Mundo

    Um famoso caçador morreu na sexta-feira após ser esmagado por um elefante quando estava a caçar. A morte foi confirmada pelas autoridades do Zimbabué, que adiantaram ainda que o animal foi morto por um dos caçadores do grupo de Theunis Botha.