sicnot

Perfil

Banif

Centeno garante que não mentiu na Comissão de Inquérito ao Banif

Centeno garante que não mentiu na Comissão de Inquérito ao Banif

O ministro das Finanças garante que não mentiu na Comissão de Inquérito ao Banif. Mário Centeno, que hoje voltou a ser ouvido no parlamento, reafirmou que nunca tentou influenciar as autoridades europeias para beneficiarem o Santander. Estas garantias não convenceram o PSD que diz que o ministro perdeu toda a credibilidade.

  • Governador do Banco de Portugal debaixo de fogo
    2:25

    Banif

    O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, está a ser pressionado para sair. À exceção do PSD, os partidos políticos estão unidos nesta pretensão mas o processo está pendente de ficar provado que houve falha grave de Carlos Costa. O Governador do Banco de Portugal argumenta que foi o sigilo que o impediu de informar o Governo sobre a sugestão ao BCE de limitar o financiamento ao Banif.

  • Governo admite erro grave de Carlos Costa no caso Banif
    2:03

    Banif

    O Governo admite que o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, cometeu uma falha grave na transmissão de informação sobre o BANIF, mas remete a avaliação do caso para a Comissão Parlamentar de Inquérito. O Presidente da República apela à estabilidade financeira e ao regular funcionamento das instituições.

  • "Não aceito que me imputem falsidades"
    3:11

    Banif

    O ministro das Finanças garante que nunca tentou que as autoridades europeias beneficiassem o Santander na compra do Banif. Mário Centeno rejeita, assim, ter mentido à comissão de inquérito, como é acusado pelo PSD. A alegada mentira do ministro marcou o arranque da audição, no Parlamento, dominada por um tom muito crispado.

  • "Banco de Portugal não informou o Governo nem o podia fazer"
    2:45

    Banif

    O governador do Banco de Portuga disse hoje que a entidade não informou o Governo sobre uma proposta que fez para o Banif numa reunião do Conselho de governadores do Banco Central Europeu porque "não podia". As declarações de Carlos Costa, acusado de esconder informação, foram proferidas durante a comissão parlamentar de inquérito sobre o Banif.

  • Centeno admite que o Governo decidiu vários detalhes da resolução e venda do Banif
    1:28

    Banif

    O ministro das Finanças considera que houve uma forte imposição da Direção Geral da Concorrência da União Europeia no processo que levou à resolução e venda do Banif, apesar de admitir que o Governo também decidiu vários detalhes da solução. Questionado no Parlamento sobre as mais recentes declarações vindas de Bruxelas, em que a Comissão recusa ter imposto uma solução para o banco, Mário Centeno dá um versão diferente da história.

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.