sicnot

Perfil

Banif

Banif

Banif

Comissão parlamentar de inquérito ao Banif prolongada por 60 dias

O Parlamento aprovou hoje por unanimidade a prorrogação por 60 dias da comissão parlamentar de inquérito sobre o Banif, que estava agendada para terminar a 2 de junho.

(LUSA/ ARQUIVO)

"Todavia, e apesar de, até à presente data, ter reunido por 21 vezes, a comissão apenas procedeu à primeira audição no dia 29 de março, em virtude de até essa data ter estado a decorrer o processo de apreciação da proposta de lei que aprovou o Orçamento do Estado para 2016. Assim, e tendo presente a lista das audições que a Comissão ainda pretende efetuar para cumprir o seu objeto, torna-se impossível concluir os trabalhos naquele prazo", vinca o texto de prorrogação do prazo.

Em 20 de dezembro de 2015, o Governo e o Banco de Portugal anunciaram a resolução do Banif, com a venda de parte da atividade bancária ao Santander Totta, por 150 milhões de euros, e a transferência de outros ativos - incluindo 'tóxicos' - para a nova sociedade veículo.

Lusa

  • Diretor de informação da TVI recusa responsabilidade no desfecho do Banif
    2:42

    Banif

    Os deputados da comissão de inquérito ao Banif acusam a TVI de ter dado uma notícia falsa, de ter sido negligente e de ter provocado uma fuga de depósitos do banco. Isto na sequência da notícia da TVI a 13 de dezembro, que dizia que o Banif ia fechar portas e que os depósitos não estavam todos salvaguardados. Durante mais de três horas de audição ao diretor de informação do canal, Sérgio Figueiredo admitiu que a notícia foi corrigida várias vezes, mas não reconhece ter errado e recusa responsabilidade do canal no desfecho do banco.

  • Vice-governador do Banco de Portugal admite que resolução do Banif teve custo elevado
    1:57

    Banif

    O vice-governador do Banco de Portugal José Ramalho revelou que o outro principal candidato à compra do Banif só foi ouvido numa altura em que o ministro das Finanças já tinha pedido para desbloquear a proposta do Santander. Ouvido no Parlamento, José Ramalho defendeu ainda que a solução final para o banco madeirense resultou de sucessivas imposições da Comissão Europeia e do Banco Central Europeu.

  • Centeno garante que não mentiu na Comissão de Inquérito ao Banif
    3:06

    Banif

    O ministro das Finanças garante que não mentiu na Comissão de Inquérito ao Banif. Mário Centeno, que hoje voltou a ser ouvido no parlamento, reafirmou que nunca tentou influenciar as autoridades europeias para beneficiarem o Santander. Estas garantias não convenceram o PSD que diz que o ministro perdeu toda a credibilidade.

  • "Tudo o que se está a passar no Sporting tem um único responsável: Bruno de Carvalho"
    7:08
  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.