sicnot

Perfil

Boko Haram

Boko Haram

Boko Haram

Revolta do Boko Haram terá matado 20 mil pessoas na Nigéria

A revolta do grupo radical Boko Haram no Estado de Borno (nordeste da Nigéria) terá matado cerca de 20.000 pessoas, segundo um relatório do Banco Mundial, que estima em 5,2 mil milhões de euros o custo da destruição.

Bandeira do grupo Boko Haram.

Bandeira do grupo Boko Haram.

© Joe Penney / Reuters

No relatório, que de acordo com a agência France Presse ainda não foi publicado, revela-se a amplitude dos danos ligados à rebelião islamita que se iniciou em 2009 e que durante algum tempo controlou vastas zonas do nordeste da Nigéria.

Integra-se numa "avaliação da reconstrução e da pacificação pós-insurreição", um programa de intervenção que envolve o Banco Mundial, a União Europeia e as Nações Unidas com seis Estados do nordeste nigeriano.

A avaliação realizada no terreno em cada um dos seis Estados analisou a educação, água, saneamento, habitação, edifícios públicos, energia, ambiente, transportes, economia e comércio.

Só no Estado de Borno poderão ter sido mortos 20.000 pessoas, um número superior ao de anteriores estimativas, disseram hoje à AFP fontes com conhecimento do relatório.

Além disso, a maioria dos dois milhões de deslocados são originários daquele Estado, feudo do Boko Haram e particularmente afetado pelos ataques e atentados dos 'jihadistas'.

Nos 27 distritos do Estado de Borno, os combates destruíram ou danificaram cerca de 30% das habitações, 5.335 salas de aula e edifícios em 552 estabelecimentos de ensino, 1.205 edifícios administrativos, 76 postos de polícia, 35 estações de eletricidade, 14 prisões, 201 centros de saúde e 1.630 pontos de água.

O governo calculou ainda que pastagens, bacias hidrográficas e lagos foram envenenados em 16 distritos e que 470.000 cabeças de gado foram mortas ou roubadas.

A extensão dos danos é superior a 1.900 mil milhões de naira, ou seja, 5,9 mil milhões de dólares.

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • Provavelmente o melhor golo da noite de Liga Europa
    1:24
  • Vitória de Guimarães mais longe dos 16 avos de final
    1:48
  • O perfil dos novos ministros
    3:22

    País

    Pedro Siza Vieira e Eduardo Cabrita são os dois novos ministros que tomam posse no próximo sábado. Ambos têm uma particularidade: são amigos de longa data do primeiro-ministro António Costa.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • Fogos na Califórnia provocaram 42 mortos e perdas acima de mil milhões de dólares

    Mundo

    O comissário dos seguros da Califórnia afirmou esta quinta-feira que as perdas provocadas pelos incêndios que dizimaram extensas áreas deste Estado norte-americano excedem os mil milhões de dólares (844 milhões de euros). Estes incêndios, que começaram no condado de Sonoma County, já provocaram a morte a 42 pessoas no mês de outubro.

  • Quem está ao lado de Trump? Melania ou uma sósia?

    Mundo

    A especulação surgiu no Twitter: estaria Trump acompanhado de uma sósia de Melania para ocultar a ausência da mulher num evento oficial? A teoria da conspiração ganhou depois força nas redes sociais. Julgue por si mesmo.

    SIC

  • Norte-americano entrega-se após perder aposta com a polícia no Facebook

    Mundo

    Um jovem de 21 anos procurado pela polícia norte-americana entregou-se, esta segunda-feira, depois de perder uma aposta com a polícia, no Facebook. Michael Zaydel prometeu entregar-se se uma publicação sobre o seu desaparecimento chegasse às mil partilhas, na rede social. O jovem norte-americano prometeu ainda levar uma dúzia de donuts, caso os agentes da cidade de Redford conseguissem ganhar a aposta.

    SIC