sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Parlamento português condena atentado contra deputada britânica

A Assembleia da República manifestou hoje a "inequívoca e veemente condenação" pelo atentado contra a deputada britânica Jo Cox, assassinada quinta-feira durante uma sessão de campanha no âmbito do referendo sobre a permanência do país na União Europeia.

WILL OLIVER/ EPA

"Caso se confirmem os contornos políticos deste incidente, este ato representará um atentado contra um dos mais elementares pilares e preceitos democráticos que fundamentam todos os Estados de direito, a liberdade de expressão", refere o voto.

A deputada, de 41 anos, mãe de duas crianças, foi baleada em plena rua numa cidade da sua circunscrição do Norte de Inglaterra, na quinta-feira, provocando choque e emoção.

A morte determinou a suspensão imediata da campanha do referendo, que não deverá ser retomada antes do fim de semana.

O assassino terá gritado "Grã-Bretanha primeiro" ou "Reino Unido em primeiro lugar", o que leva os media a interrogarem-se sobre a sua motivação, com alguns a porem em causa o tom agressivo da campanha.

O voto de condenação e pesar foi apresentado por todas as bancadas e pelo presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, que o leu, manifestando "o profundo pesar à família da vítima, aos seus pares na Câmara dos Comuns, ao Partido Trabalhista, às autoridades do Reino Unido e ao povo britânico".

Apesar de estarem ainda por apurar as razões que terão motivado o atentado contra a deputada britânica, "testemunhas apontam para a possibilidade de o responsável por este crime ter gritado palavras de ordem associadas à extrema-direita".

"O parlamento português não se envolve, enquanto tal, em referendos ou atos eleitorais realizados noutros países, mas não fica, nem pode ficar, indiferente a um ataque cobarde à liberdade e à vida de uma representante do povo", leu Ferro Rodrigues.


Lusa

  • "Já só lhes resta uma coisa: bisbilhotar comunicações privadas"
    2:57

    Caso CGD

    O primeiro-ministro diz que o PSD atingiu o grau zero da política, quando chegou à "bisbilhotice" de querer ver as mensagens trocadas entre o ministro das Finanças e António Domingues. A polémica da Caixa Geral de Depósitos voltou a marcar o debate quinzenal, com António Costa a garantir que nunca esteve em causa a entrega de declarações da administração. Já o PSD e o CDS a acusaram o Governo de violar as regras da transparência e de oprimir os direitos da oposição.

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.