sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Donald Tusk alerta britânicos para o risco de desintegração

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, apelou hoje aos britânicos para que fiquem na União Europeia (UE), advertindo que uma vitória do denominado Brexit pode ser o primeiro passo da desintegração europeia.

TIAGO PETINGA

"Quero aqui apelar aos britânicos, estou certo de que em nome de todos os europeus: fiquem connosco", disse Tusk numa conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro português, António Costa, quando faltam três dias para o referendo sobre a permanência do Reino Unido na UE.

O presidente do Conselho Europeu admitiu o "tom dramático" do seu apelo, justificando-o com o medo que lhe suscitam as consequências políticas imprevisíveis de um eventual resultado a favor da saída.

"A maior ameaça é o que não sabemos sobre possíveis consequências de um Brexit e não tenho dúvidas de que as consequências políticas e geopolíticas são completamente imprevisíveis e isso é sempre muito perigoso", afirmou.

Donald Tusk disse ter "a certeza" de que os inimigos da Europa vão "abrir uma garrafa de champanhe" se o resultado for pelo Brexit e sublinhou que o seu "maior medo" é que ele "seja um encorajamento para outros eurocéticos" e "algo como um primeiro passo de todo um processo de desintegração".

"O melhor comentário, apesar de velho e banal, é mesmo 'Unidos venceremos, divididos cairemos'", concluiu Tusk.

Donald Tusk, em visita de trabalho a Lisboa, reuniu-se com o primeiro-ministro português, com quem almoça, dirigindo-se depois para o Palácio de Belém, onde é recebido pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.


Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.