sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Indústria de automóveis britânica apoia a permanência na UE

A indústria de fabricantes automóveis britânica manifestou hoje o seu apoio à permanência do Reino Unido na União Europeia, por considerar que uma eventual saída irá arriscar postos de trabalho.

© Reuters Photographer / Reuter

A Sociedade de Construtores e Distribuidores Automóveis (STTM, na designação em inglês) expressou hoje, através de um comunicado, o receio pelo brexit, pois isso "irá prejudicar" o êxito contínuo deste setor do Reino Unido.

"Permanecer permitirá ao Reino Unido manter a influência do sucesso do setor automóvel britânico", sublinhou o conselheiro delegado da SMMT, Mike Hawes.

Depois de conhecer este apoio, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse hoje, na sua conta na rede social Twitter, que "a indústria automóvel do Reino Unido é clara e deve permanecer na UE para ter uma economia forte". David Cameron dirige a campanha a favor da continuidade do Reino Unido como membro do bloco europeu.

Entretanto, dez personalidades galardoadas com o prémio Nobel de Economia pediram hoje aos futuros votantes para apoiarem a permanência na UE, através de uma carta enviada ao diário britânico The Guardian.

Segundo os assinantes, entre eles o economista britânico James Mirrless e o norte-americano Peter Diamond, as empresas necessitam do pleno acesso ao mercado único e estimam que o brexit irá "criar incerteza".

A carta tem também as assinaturas de outros economistas premiados como George Akerlof, Kenneth Arrow, Angus Deaton, James Heckman, Eric Maskin, Christopher Pissarides, Robert Solow e Jean Tirole.

Os britânicos dirigem-se às urnas na quinta-feira, 23 de junho, para decidir se permanecem ou abandonam a UE.


Lusa

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.