sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Governo português lamenta decisão do Reino Unido

O ministro dos Negócios Estrangeiros português lamentou hoje profundamente a decisão do Reino Unido de sair da União Europeia, considerando que "é um dia triste", e reiterou que os interesses das comunidades portuguesas naquele país serão "protegidos e defendidos".

"Em primeiro lugar, lamentamos profundamente, mas respeitamos a decisão do povo britânico. Hoje é um dia triste, é mau dia para a Europa, mas a Europa tem de seguir em frente", disse à Lusa o ministro Augusto Santos Silva.

O governante sublinhou que Portugal tem uma comunidade "muito forte" no Reino Unido e reiterou que "os interesses da comunidade serão protegidos e defendidos pelas autoridades portuguesas".

Questionado de que forma o Governo português procurará acautelar os interesses dos portugueses no Reino Unido, Santos Silva disse acreditar que os dois países conseguirão encontrar soluções, a nível bilateral, além da negociação com a União Europeia.

"Confio que a negociação entre a União Europeia e o Reino Unido salvaguardará os interesses dos europeus que residem e trabalham no Reino Unido, como também estou certo que, no plano bilateral, nós e o Reino Unido saberemos encontrar condições que permitam que a contribuição muito forte dos portugueses para a economia e a sociedade britânica se mantenha e se desenvolva", sustentou.

O governante português recordou que começará agora um processo negocial "muito longo e muito complexo" para a "saída voluntária" do Reino Unido do grupo dos 28, que se prolongará por dois anos e, até lá, "vigoram todos os direitos e todos os deveres".

"Não há que ter nenhuma espécie de precipitação e é preciso ter muita prudência e muita abertura de espírito para que a negociação se faça nas melhores condições possíveis", defendeu.

"Devemos ser muito claros. O lugar de Portugal é a Europa, é a União Europeia, não há nenhuma dúvida sobre isso, essa é a nossa escolha", disse o ministro, ao mesmo tempo que lembrou que Portugal e o Reino Unido têm "uma relação bilateral muito antiga e bastante forte" que, sublinhou, "não está em perigo, vai desenvolver-se".

Na negociação que agora se vai desenvolver, será necessária, considerou, "toda a prudência e toda a abertura de espírito" para que "se desenrole nas melhores condições possíveis para todos".

Questionado sobre o que deverá a União Europeia repensar a partir de agora, Santos Silva referiu que "o projeto europeu não está em causa" e que esta é "uma oportunidade" para "respeitar melhor as opiniões e as vontades" das populações.

"Espero que esta ocasião seja uma oportunidade para nós, na União Europeia, levarmos a sério a necessidade de comunicar melhor com os cidadãos e a respeitar melhor as opiniões e as vontades das nossas populações", sustentou.

O chefe da diplomacia portuguesa afirmou que "o projeto europeu não está em causa, a construção europeia não está em causa".

Os 27 Estados-membros, após a saída do Reino Unido, "continuarão certamente a desenvolver o projeto europeu e tudo isso se deve fazer sem nenhuma precipitação nem deriva", mas "com firmeza e de forma a envolver mais as pessoas, a mobilizar mais os cidadãos", considerou.

A União Europeia atravessa "um momento muito difícil", enfrentando "várias crises", desde os refugiados à ameaça terrorista e ao "distanciamento das populações face ao projeto e ao ideal europeu", mas, "em momentos de crise, devemos conservar a cabeça fria", defendeu.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido vai sair a União Europeia, depois de o 'Brexit' ter conquistado 51,9 por cento dos votos no referendo de quinta-feira, cuja taxa de participação foi de 72,2%.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou já a intenção de se demitir em outubro, na sequência deste resultado,

As principais bolsas europeias abriram hoje em forte queda, com a bolsa de Londres a descer perto dos 8%.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59