sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

JPMorgan admite deslocar empregados para fora do Reino Unido

O banco norte-americano JPMorgan, que emprega 16.000 pessoas no Reino Unido, afirmou hoje que poderá deslocar trabalhadores para fora do país na sequência da vitória do Brexit no referendo de quinta-feira.

© Mike Segar / Reuters

"Se calhar vamos precisar de adotar mudanças na estrutura da nossa entidade legal europeia e na localização de determinados empregos", indicou a direção do banco num comunicado interno a que a AFP teve acesso.

O presidente executivo do JPMorgan, Jamie Dimon, tinha dito antes do referendo que entre 1.000 e 4.000 empregos poderiam ter de ser deslocalizados.

"Mesmo que estas mudanças não sejam certas, devemos estar preparados para nos adotar às novas leis para servir os nossos clientes em todo o mundo", indica o 'email' interno assinado por Jamie Dimon e dois outros altos responsáveis do banco.

"Independentemente do resultado de hoje, vamos manter uma presença importante em Londres, em Bournemouth e na Escócia, servindo os nossos clientes locais como o fazemos há mais de 150 anos", adianta.

O banco britânico HSBC afirmou hoje que começou "uma nova era para o Reino Unido e empresas britânicas", tendo a direção da instituição admitido anteriormente a possibilidade de deslocalizar um milhar de empregos para Paris em caso de 'Brexit'.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.