sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Líder trabalhista Jeremy Corbyn enfrenta moção de desconfiança

Duas deputadas trabalhistas escreveram ao líder parlamentar pedindo que seja "avaliada com urgência" a liderança de Jeremy Corbyn, criticado pelo que alguns consideram um fraco envolvimento na campanha pela permanência do Reino Unido da União Europeia.

reuters

As deputadas Margaret Hodge e Ann Coffey anunciaram ter escrito ao líder do grupo parlamentar do Partido Trabalhista, John Cryer, pedindo o debate de uma moção de desconfiança ao líder na reunião prevista para segunda-feira.

À televisão ITV, Hodge disse que Corbyb devia demitir-se.

"O referendo europeu era um teste à sua liderança e creio que Jeremy fracassou nesse teste", disse.

"Foi demasiado lento, pouco entusiasta na campanha e os eleitores trabalhistas simplesmente não compreenderam a mensagem", acrescentou.

Corbyn, que foi eleito em setembro passado com o apoio das bases do partido mas sem o do grupo parlamentar, tem sido criticado por um envolvimento na campanha pelo Remain considerado insuficiente.

O Brexit acabou por vencer o referendo de quinta-feira, com 52%, contra 48% pela permanência.

A moção apresentada hoje não é vinculativa, mas pode abrir um debate no grupo parlamentar e, eventualmente, conduzir a uma votação.

Vários deputados citados pela imprensa britânica já declararam o seu apoio à moção, mas um porta-voz do partido recusou a ideia, afirmando a necessidade de união em face da decisão tomada pelos eleitores.

"O Partido Trabalhista tem de se unir e cumprir a vontade dos eleitores, responsabilizando o governo pelas negociações de saída da UE e garantindo que não são os trabalhadores a sofrer as consequências", disse o porta-voz, citado pelo jornal The Guardian.

Numa primeira reação, hoje de manhã, à vitória do Brexit, Jeremy Corbyn considerou que o resultado se deveu "ao descontentamento de muitas comunidades com os cortes" aplicados pelo governo conservador.

Sobre o seu papel na campanha pela permanência, o líder trabalhista afirmou que tentou transmitir a mensagem de que "existem coisas boas na Europa, como condições laborais e proteção ambiental, mas também outras questões que não foram tratadas adequadamente".

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.