sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit

Líder trabalhista Jeremy Corbyn enfrenta moção de desconfiança

Duas deputadas trabalhistas escreveram ao líder parlamentar pedindo que seja "avaliada com urgência" a liderança de Jeremy Corbyn, criticado pelo que alguns consideram um fraco envolvimento na campanha pela permanência do Reino Unido da União Europeia.

reuters

As deputadas Margaret Hodge e Ann Coffey anunciaram ter escrito ao líder do grupo parlamentar do Partido Trabalhista, John Cryer, pedindo o debate de uma moção de desconfiança ao líder na reunião prevista para segunda-feira.

À televisão ITV, Hodge disse que Corbyb devia demitir-se.

"O referendo europeu era um teste à sua liderança e creio que Jeremy fracassou nesse teste", disse.

"Foi demasiado lento, pouco entusiasta na campanha e os eleitores trabalhistas simplesmente não compreenderam a mensagem", acrescentou.

Corbyn, que foi eleito em setembro passado com o apoio das bases do partido mas sem o do grupo parlamentar, tem sido criticado por um envolvimento na campanha pelo Remain considerado insuficiente.

O Brexit acabou por vencer o referendo de quinta-feira, com 52%, contra 48% pela permanência.

A moção apresentada hoje não é vinculativa, mas pode abrir um debate no grupo parlamentar e, eventualmente, conduzir a uma votação.

Vários deputados citados pela imprensa britânica já declararam o seu apoio à moção, mas um porta-voz do partido recusou a ideia, afirmando a necessidade de união em face da decisão tomada pelos eleitores.

"O Partido Trabalhista tem de se unir e cumprir a vontade dos eleitores, responsabilizando o governo pelas negociações de saída da UE e garantindo que não são os trabalhadores a sofrer as consequências", disse o porta-voz, citado pelo jornal The Guardian.

Numa primeira reação, hoje de manhã, à vitória do Brexit, Jeremy Corbyn considerou que o resultado se deveu "ao descontentamento de muitas comunidades com os cortes" aplicados pelo governo conservador.

Sobre o seu papel na campanha pela permanência, o líder trabalhista afirmou que tentou transmitir a mensagem de que "existem coisas boas na Europa, como condições laborais e proteção ambiental, mas também outras questões que não foram tratadas adequadamente".

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52