sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Primeiro-ministro da Dinamarca "muito triste" com triunfo do Brexit

O primeiro-ministro da Dinamarca, o liberal Rasmussen, considerou "muito triste" o triunfo do brexit e alerta para que o euroceticismo que existe em vários países deve ser levado a sério.

© Scanpix Denmark / Reuters

"Devemos respeitar a eleição que a maioria da população britânica conseguiu mas, ao mesmo tempo, não escondo que é um resultado muito triste para a Europa e para a Dinamarca", disse em comunicado Lars Lokke Rasmussen líder do governo minoritário dinamarquês, apoiado pelos partidos de direita.

Rasmussen frisou que que deve ser o executivo britânico a decidir o caminho que quer prosseguir, mas mostrou o desejo de que o Reino Unido mantenha uma "estreita relação" com a União Europeia.

"O referendo britânico não interfere na posição da Dinamarca em relação à União Europeia", disse Rasmussen, que recordou a dependência da economia dinamarquesa em relação à cooperação europeia.

O primeiro-ministro dinamarquês referiu-se também aos resultados das consultas que foram realizadas recentemente na Dinamarca e na Holanda e que "devem suscitar reflexão e ação".

"Entre a população existe ceticismo perante a União Europeia. Todos nós que tomamos decisões no quadro da União Europeia devemos levar esta circunstância muito a sério", afirmou.

A Dinamarca, que não faz parte do euro, rejeitou num referendo realizado no passado mês de dezembro as situações de exceção nas áreas da justiça e da segurança que mantém desde 1993.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido vai sair a União Europeia, depois de o 'Brexit' ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira, cuja taxa de participação foi de 72,2%.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou já a intenção de se demitir em outubro, na sequência deste resultado,

As principais bolsas europeias abriram hoje em forte queda, com a bolsa de Londres a descer perto dos 8 por cento.

Lusa

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional. O ministro garante que o programa vai ser executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação. Vieira da Silva assegura também que o montante disponível para o programa não foi desperdiçado e vai poder ser usado.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01