sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Líder trabalhista britânico perde voto de confiança, recusa demitir-se

O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, perdeu hoje uma moção de confiança do seu partido, que o acusa de não ter feito o suficiente na campanha pela manutenção do Reino Unido na União Europeia. Corbyn garante que não apresentará a sua demissão.

© Stefan Wermuth / Reuters

A moção foi votada por 172 deputados, 40 apoiaram o dirigente trabalhista.

"Fui eleito democraticamente líder do nosso partido para uma política diferente por 60% dos membros e apoiantes do Labour e não vou traí-los ao demitir-me", garantiu entretanto Corbyn numa declaração enviada por e-mail, citada pela agência Reuters. "Hoje, o voto dos deputados não tem legitimidade constitucional", afirmou.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido deve sair da UE, depois de o Brexit (nome como ficou conhecida a saída britânica da União Europeia) ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira.

Logo na sexta-feira, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou a sua demissão, com efeitos em outubro, e os líderes da UE defenderam uma saída rápida do Reino Unido.

  • Curiosidades sobre o Mundial da Rússia
    3:08
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Algumas curiosidades
    1:54
  • O choro intenso de Neymar explicado pelo próprio
    0:51
  • A queda aparatosa do selecionador do Brasil
    0:05
  • Dia de limpezas em Chaves após noite de chuva intensa e queda de granizo
    2:44
  • Athanasia, uma mulher sem medo das alturas
    0:35

    Mundo

    É grega, chama-se Athanasia Athineau, tem 29 anos e pertence à unidade de forças especiais da Grécia. O salto que podemos ver é de 10 mil pés, mas Athanasia faz também saltos de 30 mil. Neste caso, caíu a uma velocidade de 250 quilómetros por hora antes de abrir o pára-quedas.

  • Talheres de Hitler vendidos por 14 mil euros

    Mundo

    Um conjunto de duas facas, três colheres e três garfos de prata, que pertencia a Adolf Hitler, foi vendido em Dorset, Inglaterra, pelo valor de 12.500 libras (aproximadamente 14.200 euros). O serviço de talheres foi criado no âmbito das celebrações do 50.º aniversário do ditador nazi.

    SIC