sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Líder trabalhista britânico perde voto de confiança, recusa demitir-se

O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, perdeu hoje uma moção de confiança do seu partido, que o acusa de não ter feito o suficiente na campanha pela manutenção do Reino Unido na União Europeia. Corbyn garante que não apresentará a sua demissão.

© Stefan Wermuth / Reuters

A moção foi votada por 172 deputados, 40 apoiaram o dirigente trabalhista.

"Fui eleito democraticamente líder do nosso partido para uma política diferente por 60% dos membros e apoiantes do Labour e não vou traí-los ao demitir-me", garantiu entretanto Corbyn numa declaração enviada por e-mail, citada pela agência Reuters. "Hoje, o voto dos deputados não tem legitimidade constitucional", afirmou.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido deve sair da UE, depois de o Brexit (nome como ficou conhecida a saída britânica da União Europeia) ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira.

Logo na sexta-feira, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou a sua demissão, com efeitos em outubro, e os líderes da UE defenderam uma saída rápida do Reino Unido.

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.