sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Libra desvaloriza 3% contra euro e dólar na primeira semana após referendo

Os efeitos do brexit no mercado cambial levaram a libra a cair 3,25% contra o euro e 3,06% contra o dólar desde que os britânicos votaram no referendo de 23 de junho pela saída da União Europeia.

© Toby Melville / Reuters

No dia seguinte à votação (24 de junho), o euro era negociado nas 0,81274 libras e hoje valia 0,83919 libras (-3,25%), uma evolução semelhante à registada entre a libra e o dólar.

Há uma semana, cada libra valia 1,3679 dólares e hoje era negociada nos 1,3260 dólares, um recuo de cerca de 3%.

Já a interação entre a moeda única europeia e o dólar foi mais estável, com o euro a valorizar ligeiros 0,09% no período em análise. A 24 de junho cada euro valia 1,1117 dólares e hoje, pelas 19:30, estava nos 1,1128 dólares, ou seja, a variação foi mínima.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido deve sair da União Europeia (UE), depois de o 'Brexit' (nome como ficou conhecida a saída britânica da União Europeia) ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira da semana passada.

Logo no dia seguinte (24 de junho), o primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou a sua demissão, com efeitos em outubro, e os líderes da UE defenderam uma saída rápida do Reino Unido.

Lusa

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.