sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit

Libra desvaloriza 3% contra euro e dólar na primeira semana após referendo

Os efeitos do brexit no mercado cambial levaram a libra a cair 3,25% contra o euro e 3,06% contra o dólar desde que os britânicos votaram no referendo de 23 de junho pela saída da União Europeia.

© Toby Melville / Reuters

No dia seguinte à votação (24 de junho), o euro era negociado nas 0,81274 libras e hoje valia 0,83919 libras (-3,25%), uma evolução semelhante à registada entre a libra e o dólar.

Há uma semana, cada libra valia 1,3679 dólares e hoje era negociada nos 1,3260 dólares, um recuo de cerca de 3%.

Já a interação entre a moeda única europeia e o dólar foi mais estável, com o euro a valorizar ligeiros 0,09% no período em análise. A 24 de junho cada euro valia 1,1117 dólares e hoje, pelas 19:30, estava nos 1,1128 dólares, ou seja, a variação foi mínima.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido deve sair da União Europeia (UE), depois de o 'Brexit' (nome como ficou conhecida a saída britânica da União Europeia) ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira da semana passada.

Logo no dia seguinte (24 de junho), o primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou a sua demissão, com efeitos em outubro, e os líderes da UE defenderam uma saída rápida do Reino Unido.

Lusa

  • Cinco mortos provocados pelo tufão Hato em Macau
    1:13
  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.