sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

"Os heróis de ontem são hoje tristes heróis"

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou hoje na sessão do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, que os "heróis de ontem do Brexit são hoje tristes heróis", referindo-se aos protagonistas do referendo do Reino Unido.

O líder do executivo comunitário aos eurodeputados, Jean-Claude Juncker, teceu duras críticas relativas aos protagonistas do Brexit, como Boris Johnson e Nigel Farage, entre outros.

"Aqueles que contribuíram para a situação do Reino Unido demitiram-se. Eles não são patriotas, porque os patriotas não se demitem quando as coisas se tornam difíceis. Ficam", argumentou.

Num debate sobre as conclusões da última cimeira de chefes de Estado e do Governo, que se centrou na vitória da opção pela saída do Reino Unido da União Europeia, Juncker disse que "os heróis de ontem do Brexit, são hoje os tristes heróis do Brexit". Afirmou ainda não compreender que os partidários da saída peçam tempo para afirmarem os seus planos para o futuro.

"Em vez de desenvolverem um plano, estão a abandonar o navio", criticou.

Jean-Claude Juncker fez ainda eco da mensagem repetida momentos antes pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, que sem notificação por parte do Reino Unido do seu desejo de saída (Artº nº50 - Tratado de Lisboa) não há negociações sobre as futuras relações.

O presidente da Comissão Europeia reafirmou que a participação no mercado único implica o respeito total "pelas quatro liberdades, incluindo a de circulação".

Com Lusa

  • Juncker diz que Escócia ganhou o direito de ser ouvida em Bruxelas
    0:32

    Brexit

    O presidente da Comissão Europeia diz que a Escócia ganhou o direito de ser ouvida em Bruxelas. Esta tarde está previsto um encontro entre Jean-Claude Juncker e a primeira-ministra da Escócia. Juncker diz no entanto que não cabe nem à Comissão Europeia, nem ao Conselho Europeu, interferir no processo de cisão da Escócia do Reino Unido.

  • "Porque está aqui?", diz Juncker a Farage no Parlamento Europeu
    0:53

    Brexit

    Jean-Claude Juncker voltou a lamentar o resultado do referendo no Reino Unido, mas sublinha que é preciso respeitar a vontade expressa pelo povo e insiste que o governo britânico deve ativar o artigo 50 o quanto antes. O presidente da Comissão Europeia confrontou hoje os eurodeputadas britânicos que defenderam o Brexit. Após a participação do líder do Partido da Independência do Reino Unido, Nigel Farage, Juncker perguntou-lhe o que estava a fazer no Parlamento Europeu.

  • Juncker quer acelerar negociações com os britânicos
    0:34

    Brexit

    O presidente da Comissão Europeia rejeitou que a saída do Reino Unido represente o princípio do fim da União Europeia (UE). "A união é o enquadramento do nosso futuro político comum", diz Jean-Claude Juncker que não quer que a incerteza se prolongue e pretende acelerar as negociações com os britânicos.

  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser "derrotada como todos os outros"

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • António Guterres, "o governante mais amado desde sempre em democracia"
    2:27

    País

    António Guterres foi distinguido com o grau de honoris causa pela Universidade de Lisboa. A cerimónia decorreu esta manhã e contou com a presença do Presidente da República e do primeiro-ministro. Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que Guterres foi o governante mais amado da democracia portuguesa.