sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

"Os heróis de ontem são hoje tristes heróis"

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou hoje na sessão do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, que os "heróis de ontem do Brexit são hoje tristes heróis", referindo-se aos protagonistas do referendo do Reino Unido.

O líder do executivo comunitário aos eurodeputados, Jean-Claude Juncker, teceu duras críticas relativas aos protagonistas do Brexit, como Boris Johnson e Nigel Farage, entre outros.

"Aqueles que contribuíram para a situação do Reino Unido demitiram-se. Eles não são patriotas, porque os patriotas não se demitem quando as coisas se tornam difíceis. Ficam", argumentou.

Num debate sobre as conclusões da última cimeira de chefes de Estado e do Governo, que se centrou na vitória da opção pela saída do Reino Unido da União Europeia, Juncker disse que "os heróis de ontem do Brexit, são hoje os tristes heróis do Brexit". Afirmou ainda não compreender que os partidários da saída peçam tempo para afirmarem os seus planos para o futuro.

"Em vez de desenvolverem um plano, estão a abandonar o navio", criticou.

Jean-Claude Juncker fez ainda eco da mensagem repetida momentos antes pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, que sem notificação por parte do Reino Unido do seu desejo de saída (Artº nº50 - Tratado de Lisboa) não há negociações sobre as futuras relações.

O presidente da Comissão Europeia reafirmou que a participação no mercado único implica o respeito total "pelas quatro liberdades, incluindo a de circulação".

Com Lusa

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.